Que o GIMP possuiu diversas funções, todos sabemos. Entretanto, algumas delas podem ser bastante semelhantes – mas lembre-se elas não são a mesma coisa. Redimensionar é diferente de rotacionar. Inclinar não é colocar em perspectiva; e espelhar passa longe do resto! Ficou curioso? Então se arrume na sua cadeira, pegue um refrigerante e acompanhe este pequeno guia do GIMP feito especialmente para você!

Todas essas ferramentas têm funções específicas que lhe conferem suas características principais. Por isso, não é a toa que “Redimensionar” tem esse nome. Observe a imagem abaixo. Nela, você verá quais são os ícones que correspondem às devidas ferramentas. O primeiro deles é “Rotcionar”. Assim, as ferramentas aparecerão de acordo com a ordem apresentada no GIMP.

Rotacionar

Um dos comandos mais simples do GIMP é o “Rotacionar”. Para utilizá-lo, basta clicar no ícone, clicar e arrastar a imagem para o lado que você quiser. Repare que uma janela irá aparecer. Fica a seu critério fazer uso dela ou não – afinal, tudo o que você fará com o auxilio dela pode ser feito pelos cliques diretos na imagem.


Redimensionar

Como o nome já diz, esta ferramenta serve para aumentar ou diminuir o tamanho de imagens. Da mesma maneira que o “Rotacionar”, o “Redimensionar” também abrirá uma janela para que você possa controlar o tamanho exato da sua imagem. Contudo, isso pode ser feito ao clicar e arrastar os cantos da imagem, ressaltados pelos quadrados.

Inclinar

Não se engane. “Inclinar” não é o mesmo que “Rotacionar”. A diferença está no quadro de imagem. O “Rotacionar” faz com que a imagem gire em um determinado centro. Já o recurso “Inclinar” modifica o quadro de imagem, transformando-o em trapézio. A janela, assim como nas outras ferramentas, irá aparecer. Porém, neste caso é recomendado utilizar a janela em vez do “clique e arraste”. Assim, você terá medidas mais exatas ao controlar os eixos X e Y.


Perspectiva

Para aqueles casos em que você precisa causar um efeito de profundidade, nada melhor do que a ferramenta “Perspectiva”. Com ela é possível arrastar os cantos da imagem de maneira a inclinar todo o conteúdo e transformá-lo em qualquer forma que você quiser, desde que apareça em plano inclinado. Não confunda esta ferramenta com o “Rotacionar” ou “Inclinar”. Apesar de realizarem tarefas afins, as três são bem diferentes!


Espelhar

De um jeito mais simples do que a maioria pode pensar, a ferramenta “Espelhar” inverte a imagem conforme a vemos na tela. Para fazer isso, basta clicar no botão correspondente ao indicado na imagem a cima e acompanhar o resultado. Este é um recurso muito útil para utilizar duas ou mais camadas e espelhar uma delas. Entretanto, se você deseja apenas inverter a direção da imagem, o “Espelhar” é perfeito. A ferramenta não exibe a janela auxiliar que todas as outras exibem justamente por se tratar de um efeito bastante simples e não exigir nenhum tipo de configuração.

Agora que você já sabe quais são as diferenças básicas entre cada uma dessas ferramentas, pode usá-las separadamente ou combinadas para chegar a um resultado um pouco diferente do convencional. Contudo, vale a pena frisar que as diferenças entre cada uma delas existem e não são poucas. O recurso “Inclinar” pode até ajudar, mas nunca vai oferecer a mesma qualidade que o “Perspectiva” apresenta para fazer efeitos de profundidade. E diferente de todos os citados, a ferramenta “Espelhar” foge dos padrões e se apresenta como recurso automático.

Muito bem, você já conhece as ferramentas e descobriu para o que cada uma delas serve, conte para a gente como foi utilizar cada uma delas e qual é a sua preferida! Sabemos que a variedade de usos é grande, mas com certeza existe uma delas que facilitará muito o seu dia a dia com edição de imagens.

Fique ligado para as próximas dicas de GIMP aqui no Baixaki! Até mais!

Cupons de desconto TecMundo: