Existem recursos em editores de imagens que são o “carro chefe”. Este é o caso da dupla “Brilho e Contraste”. Assim como o equalizador de cores e outros recursos como filtros e mais, estes dois são vitais para qualquer edição ser bem sucedida. Por isso, hoje vamos explicar como estes fatores, aliados à saturação correta de cores, podem transformar uma foto comum em algo um pouco mais elaborado.

Antes de partir para a parte prática deste tutorial, é preciso explicar como funciona cada um destes recursos e quais alterações ele trará para a sua imagem.

Contraste

O contraste controla a intensidade das cores entre claras e escuras. Quanto maior for o contraste, as cores ficam mais vivas e a sua foto pode ganhar novos ares. Este recurso aumenta intensidade das cores escuras destacando as mais claras de modo que elas se sobressaem neste contexto. Se você deixar o ponteiro do contraste no máximo terá uma foto toda desregulada, com as cores quentes em exagero – o que com certeza não é o esperado em uma edição de imagens.


Brilho

Este recurso tem como objetivo tornar a imagem mais opaca ou brilhante, conforme a sua regulagem. É preciso ter em mente que colocar o ponteiro do brilho no máximo ou no mínimo não vai adiantar nada para clarear as fotos. O brilho da foto deve ser ajustado de acordo com o contraste desejado. Se você colocar o ponteiro no mínimo, terá uma imagem cinza; no máximo, vai parecer que a sua foto possui uma camada branca de baixa opacidade sobre ela. Portanto, administre este recurso com cuidado.

Saturação

A saturação é a quantidade de cor que você tem na imagem. Este recurso pode deixar a sua foto com cores vibrantes e muito fortes, caso seja usado na sua potência máxima. Se você reduzir a saturação a zero, terá uma foto em preto e branco. Este é um dos jeitos mais fáceis de descolorir uma imagem. Nesta ferramenta, é possível editar as configurações de luminosidade e matiz. O matiz das cores, quando é alterado, mantém a proporção mas altera a cor, por exemplo, a moça da foto pode ficar azul e manter a mesma quantidade de saturação da imagem original.


Mãos à massa!

Depois desta breve explicação podemos seguir com a parte prática. Comece escolhendo uma foto. Pode ser qualquer uma que você goste. Abra-a no GIMP e fique atento para as instruções a seguir.
Vamos supor que esta foto está com problemas de clareza de cores. O que deve ser feito para corrigi-lo? A melhor opção neste caso é utilizar os controles de Brilho e Contraste.



Observe que a alteração do contraste precisou ser muito maior em relação ao brilho. Isto acontece por que as cores estão relacionadas com o contraste, a nitidez da foto precisou de pouca alteração para ficar com uma boa qualidade. A variação do brilho deve ser pequena para que as cores mais claras e a nitidez se mantenham próximas do que a foto apresentava.

Em seguida, você pode alterar as cores e a concentração delas de acordo com o efeito que quer causar. Se colocar os matizes nos extremos da barra, você verá uma imagem com cores completamente fora da realidade da fotografia. A moça passa a ter pele azul e a grama fica roxa. Você pode brincar de alterar cores deslizando o ponteiro.

A luminosidade também pode ser alterada nesta opção. Como o nome deste recurso já faz referência à luz, fica fácil descobrir que se a luminosidade estiver no máximo, a cor ficará muito clara e se estiver no mínimo, ficará muito escura. Caso você queira trabalhar com cada cor individualmente, pode fazê-lo selecionando a cor desejada na “roda de cores” acima dos controles de ponteiros. Assim, é possível aumentar ou reduzir a claridade de uma cor em específico sem alterar as demais.


Para conhecer os mais avançados

Se toda esta explicação já era assunto conhecido para você, não fique desanimado. O GIMP também oferece ferramentas para os usuários que já estão acostumados a editar imagens com um pouco mais de refinamento. Estas duas ferramentas são “Limites” e “Níveis”.

Limites

A janela de Limites oferece um gráfico com a imagem já em preto e branco. Isto acontece porque o recurso exige um determinado nível de ausência de cor que a sua foto fica em tons bem nítidos de preto e branco. Assim, após finalizar esta modificação, a imagem ficará exatamente do jeito que você viu na pré-visualização desta ferramenta. Este recurso é bom quando você está trabalhando com várias camadas e quer fazer com que a sua foto se pareça com um desenho – é uma boa base.

Níveis

Os níveis funcionam de uma maneira muito similar ao Brilho e Contraste. Se você alterar a barra de cima, estará mexendo nas cores escuras, ou seja, no contaste. A barra inferior é responsável pelas cores mais claras, traduzindo para o que já vimos, seria o brilho. A grande (e principal) diferença está no número de ponteiros que cada barra possui – 3. Todos eles estão interligados e se você mover qualquer um das extremidades, os outros acompanharão. O primeiro destes ponteiros é o responsável pelos tons escuros, o do meio altera os tons médios e o último (da direita), muda quantidade de claridade.

Agora que você já aprendeu as principais funções destas ferramentas, é hora de colocá-las em prática. Escolha sua foto e veja o que pode alterar nela para que a qualidade da imagem e das cores fique melhor.

Fiquem ligados para o próximo tutorial de GIMP!

Cupons de desconto TecMundo: