(Fonte da imagem: Reprodução/SlashGear)

Não é de hoje que a indústria da música, estúdios de Hollywood e outros produtores de conteúdo veem a internet como uma ameaça às suas rendas. Para tentar evitar que pessoas tenham acesso a conteúdos de maneira indevida, essas organizações criaram os conhecidos DRMs (Digital Rights Managment), que em breve devem estar presentes também no HTML5 com a aprovação do W3C (World Wide Web Consortium).

Isso deve permitir o desenvolvimento de navegadores de internet que bloqueiam a capacidade que seus usuários têm em baixar conteúdos protegidos por direitos autorais. Críticos à adição acreditam que isso pode reduzir a visibilidade dos códigos-fontes das páginas disponíveis na internet, e também há chances que não vá mais ser possível realizar o download de imagens através do JavaScript.

Também há a dúvida quanto a real necessidade de incluir DRMs ao HTML5, já que os navegadores disponíveis no mercado são capazes de indicar a localização de usuários através de seus endereços de IP, o que torna fácil indicar os responsáveis pelos conteúdos ilegais. Devido à má fama adquirida por esses métodos de proteção nos últimos anos, tudo indica que o W3C vai ter dificuldades em convencer os consumidores de que a adição da tecnologia será algo bom pra eles.

Cupons de desconto TecMundo: