Mesmo tendo lançado recentemente aparelhos elogiados — como o HTC 10  —, a fabricante HTC está cogitando vender sua divisão de smartphones para outras companhias interessadas. A decisão é reflexo dos problemas que a companhia vem enfrentando em anos recentes, nos quais ela se mostrou incapaz de competir no mesmo nível de suas rivais.

A situação ajuda a explicar os motivos pelos quais a organização decidiu assinar um acordo com o Google para se tornar a responsável pelo Pixel e pelo Pixel XL. Esse contexto faz com que alguns já cogitem a possibilidade de a fabricante ser adquirida pela Alphabet, que se encarregaria de prosseguir com a fabricação de linha de celulares por conta própria.

Uma decisão do tipo seria bastante semelhante àquela tomada em 2014, quando o Google decidiu comprar a Motorola e foi responsável por estrear uma nova era dentro da fabricante com o Moto X. No momento atual, a venda da divisão de smartphones da HTC deve ser tratada com um rumor, mas há indícios fortes de que um anúncio oficial pode ser realizado já no início de 2017.

HTC nega rumores

a fabricante negou qualquer possibilidade de deixar o mundo dos smartphones

Durante a estreia de seu novo centro de pesquisas em Shenzhen, nesta segunda-feira (21), a fabricante negou qualquer possibilidade de deixar o mundo dos smartphones. A afirmação foi feita durante a estreia de um novo centro de pesquisas de realidade virtual financiado com ajude do governo chinês que envolve investimentos de aproximadamente R$ 5 bilhões.

O local vai trabalhar não somente em dispositivos semelhante ao HTC Vive, como vai explorar opções para trazer a tecnologia a áreas como saúde, negócios, aplicações governamentais e militares e outras indústrias. Segundo a presidente da companhia, Cher Wang, o novo espaço deve ajudar a aumentar em muito as capacidades de pesquisa e desenvolvimento da região de Shenzhen e aprimorar a indústria de realidade virtual local.

Cupons de desconto TecMundo: