Os dispositivos de realidade virtual já saíram da etapa embrionária, mas ainda engatinham no mercado. Não a passos tão lentos como em um ou dois anos atrás, porém precisando de algum fôlego. Os dois principais modelos já disponíveis no mercado, Oculus Rift e HTC Vive, ainda sofrem para despontar, o que é natural, considerando que estamos no início do ciclo de vida dessa tecnologia. A HTC, no entanto, já está tomando precauções: ela vai tornar a divisão que cuida do Vive um braço independente.

Quem deu a informação foi o presidente de vendas globais da HTC junto ao CEO da companhia, Cher Wang, durante um encontro de acionistas. A filial que cuida do Vive será uma empresa independente subsidiada focada em smartphones. A ideia é ter investimentos mais “seguros e competitivos” com parcerias estratégicas.

Controle sobre tecnologias de VR ainda será da HTC

Assim como faz com todas as suas outras subsidiadas, a HTC vai reter um significativo controle dos negócios que cuidam do setor de realidade virtual no novo braço. A gigante não especificou, entretanto, qual porcentagem estaria disponível para aqueles interessados em investir no foco realocado.

A realidade virtual ainda deve demorar a vingar

Wang deixou claro que está “convicto” de que tal setor “não terá dificuldades em gerar lucros”, devido à alta demanda projetada para conteúdos em VR nos mais diversos campos: educação, compras, cuidados com a saúde e entretenimento, entre outros.

Convém frisar aqui que a HTC passa por maus bocados no mercado de smartphones. Ao longo dos últimos anos, a reserva da empresa nos investimentos aplicados ao setor secou, e não há dinheiro suficiente para apostar horrores no HTC Vive como se deveria. Portanto, a nova investida pode ser uma tentativa de proteger os negócios relacionados à realidade virtual para eventuais oscilações nos cofres da empresa – e assegurar também a saúde dela num cenário em que os smartphones continuem em declínio.

Só o tempo mostrará os desdobramentos dessa decisão. O HTC Vive é vendido por abusivos US$ 799 (aproximadamente R$ 2.960). Aguardemos. Enquanto isso, opine sobre o assunto na seção destinada aos comentários, logo abaixo.

Cupons de desconto TecMundo: