Recentemente, o pessoal do TecLab visitou nosso escritório para a gravação de alguns vídeos de montagem — em um deles nós até montamos uma máquina mais cara que um carro zero KM preparada para qualquer parada.

Nesta ocasião, debatemos uma série de temas que dizem respeito à nossa rotina diária, incluindo a fabricação de alguns componentes de hardware.

Foi a partir de uma conversa durante o almoço que tivemos a ideia de produzir alguns vídeos de bate-papo para levar esse tipo de informação até você. A equipe do TecLab faz testes diários com placas de vídeo, modificações extremas (como placas zombie), quebra de recordes e outras atividades que garantem sua expertise no assunto.

No vídeo acima, você confere nossa primeira conversa com Ronaldo "rbuass" Buassali, Jacson "bros" Schenckel e Jonas "Jow" Bovo. Desta vez, comentamos um pouco sobre as fabricantes de componentes de hardware, modelos de placas de vídeo, fontes e muito mais. Abaixo, detalhamos um pouco do que foi explicado no vídeo.

Como funciona a cadeia de produção?

Muitos jogadores que apostam no computador como sua plataforma de jogo ficam em dúvidas quando vão escolher uma placa de vídeo para equipar sua máquina. Também, com tantas marcas e modelos fica realmente difícil saber qual modelo tende a oferecer melhor desempenho. E mesmo após pesquisar em fóruns e análises, ainda temos questionamentos sobre o benefício de um ou outro modelo.

Será que é tudo igual? Afinal, existem diferenças nas GPUs e nas memórias? Quem fabrica tudo isso? Essas são questões que nem passam pela cabeça das pessoas, já que supostamente elas sabem que sua placa é fabricada pela ASUS, Zogis e outras tantas.

É curioso notar, contudo, que raramente a empresa que leva o produto até o consumidor é a fabricante. Grandes nomes como EVGA, MSI, Galax, Sapphire e outras não costumam colocar a mão na massa. Apesar de serem dominadas comumente como fabricantes, essas marcas são responsáveis pela parte de projeto da placa de vídeo.

Então, se elas não fabricam as placas, quem cuida dessa parte? Seria a NVIDIA e a AMD? Na verdade, nem mesmo as gigantes do setor cuidam dessa parte de fabricação. Essas duas são responsáveis pelo desenvolvimento de novos processadores gráficos (o que inclui toda a parte de arquitetura interna, quantidade de memória cache, clock, tecnologias de suporte) e por montar um modelo de referência.

A partir desta versão básica das placas é que as parceiras (ASUS, Powercolor, Zotac, XFX e outras) bolam novas arquiteturas e tecnologias para levar um produto diferenciado até o consumidor. Não é por acaso que um determinado modelo de chip gráfico é usado em várias versões. Se pensarmos no caso da EVGA, só para citarmos algumas, temos a SuperClocked, a SuperSuperClocked, a Classified e a KingPIN.

As verdadeiras fabricantes de hardware

A tecnologia para fabricação de chips gráficos — bem como processadores, chips para memória RAM e outros semicondutores — geralmente fica nas mãos de companhias como a Global Foundires e a TSMC (Taiwan Semiconductor Manufacturing Company).

Conforme explica nosso amigo Ronaldo Buassali, os chips saem todos de um wafer — é uma bolachona com vários microcircuitos —, que é fabricado através de diferentes processos (como o bombardeamento de íons, deposição de materiais ou outras técnicas).

São companhias como essas que detêm tecnologias de litografia avançada para atender a grandes empresas (como a Intel, a AMD e a NVIDIA) que já necessitam de componentes de tamanho ínfimo para otimizar o desempenho e a temperatura.

De modo geral, o projeto de um chip gráfico sai da empresa que desenvolveu a arquitetura e é levado até as foundries, onde ele sairá do papel e será transformado no produto final. Assim, podemos compreender que uma parte não vive sem a outra.

Também é importante constatar que a montagem das placas de vídeo muitas vezes é feita por outras empresas, como a Palit e a PCPartner. De acordo com Jackson Schenckel, a Palit cuida da fabricação e montagem das placas da Galax, enquanto eu a PCPartner trabalha em conjunto com a Zotac e a Sapphire.

Essa cadeia de produção e dependência de diversas empresas parceiras também existe em outros segmentos. No caso das fontes, os capacitores e demais componentes internos geralmente são fabricados em especializadas do ramo de itens eletrônicos, enquanto que a montagem fica por conta da Flextronics (que atende à Corsair) e da Super Flower (responsável pelas fontes da EVGA), como nos conta Jonas Bovo.

É importante ter em mente que nenhuma empresa detém a fabricação total de um produto, sendo que muitas terceirizam quase todo o processo de montagem. É claro que isso não desmerece nenhuma companhia, até porque muitas donas de projetos busca acompanhar todo o processo das parceiras e levar bons componentes ao consumidor. Não é o que acontece com todas as marcas, mas isso já é assunto para outro bate-papo.

Deixamos aqui nosso agradecimento especial à equipe do TecLab e esperamos que vocês tenham gostado desse episódio piloto. Fiquem ligados que teremos outros muito em breve!

Cupons de desconto TecMundo: