Anand Chandrasekher, o executivo da Qualcomm. (Fonte da imagem: Reprodução/Adweek)

No mês passado, a Apple lançou um de seus novos smartphones, o famoso e desejado iPhone 5S. Uma das características mais atraentes do aparelho é o fato de ele contar com o novo processador da Maçã, o A7, que é o primeiro componente deste gênero a levar a arquitetura de 64 bits para os celulares inteligentes.

Por conta disso, uma das possibilidades de utilização é o suporte de aplicativos mais pesados pelo iPhone 5S — coisa que ainda não está acontecendo por conta do pouco tempo de disponibilidade do novo processador. Dessa maneira, muita gente ficou empolgada com o recente lançamento da Maçã.

Abrindo algumas feridas...

No entanto, o vice-presidente sênior da Qualcomm, Anand Chandrasekher, tem uma opinião bem divergente da maioria das pessoas. De acordo com o que foi dito por ele, o A7 não passa de uma alegoria e de uma espécie de jogada de marketing, já que ele não leva benefícios reais aos donos de smartphones.

Uma ressalva foi feita pelo executivo, que é o fato de a arquitetura de 64 bits poder trabalhar com uma quantidade maior de memória, coisa que não acontece com o iPhone por conta do 1 GB de RAM. No final, Anand também admitiu que a Qualcomm estaria trabalhando com este tipo de tecnologia, já que o objetivo deles é o de fornecer processadores de grande eficiência.

E aí, depois de ler tudo isso, qual é a sua opinião sobre o assunto? Como você já deve saber, para deixar a sua opinião, é necessário apenas postar um comentário.

Cupons de desconto TecMundo: