O termo cooler, oriundo do inglês, remete aos dispositivos que refrigeram os diferentes componentes do nosso computador. Sem eles, o superaquecimento de nossas peças impossibilitaria o bom funcionamento do sistema.

Este artigo visa sanar as principais dúvidas dos usuários quanto ao que é realmente um cooler, além dos diversos modelos que encontramos atualmente à disposição nas lojas de informática. Para começar, vamos tratar da importância dessas pequenas peças:

Fique frio!

A importância dos coolers para o nosso sistema pode ser comparada com a água que colocamos no radiador do carro. Desta forma, a temperatura não excede um limite para o bom funcionamento do motor, permitindo que usemos o veículo sem problemas.

No computador é basicamente igual. Processador, memória, placa de vídeo, disco rígido e outras peças têm sempre um ponto crítico de temperatura, do qual não podem passar para continuarem funcionando sem apresentar problemas. Logo abaixo vamos falar um pouco mais dos tipos de coolers disponíveis no mercado.

Ventoinha, cobre, água ou nitrogênio líquido?

Isso mesmo! Estes são alguns dos modelos de coolers existentes na atualidade. Os mais comuns – e baratos – deles são as ventoinhas, que retiram o ar quente acumulado em algumas peças ou simplesmente o fazem circular para fora do gabinete.

Em algumas peças, são feitas associações de metais condutores e ventoinhas, o que confere bons resultados em refrigeração. Para explicar melhor este tipo de situação, veja a foto do modelo de cooler mais conhecido para processadores:

Este é o modelo padrão de coolers para processador.

A maneira que este tipo de cooler refrigera o processador segue um princípio bem simples: o calor gerado pelo processador é transferido para o metal do cooler, que ao mesmo tempo é resfriado pela corrente de ar trazida pela ventoinha. Vale ressaltar que a condução de calor do processador para o metal é potencializada por uma pasta térmica especial para este tipo de situação.

No entanto, o ar quente que está saindo da peça fica retido dentro do gabinete, certo? Para resolver o problema, é possível instalar outra ventoinha na lateral ou no fundo dele, funcionando como um exaustor para o ar aquecido pelos outros componentes.

Inovações

Devido ao grande potencial de algumas peças atuais, como placas de vídeo e processadores para jogos pesados, em especial quando se faz overclock das peças, que, basicamente, é um aumento da velocidade de processamento, já estão chegando ao consumidor comum outros tipos de coolers muito interessantes.

Entre eles, temos refrigeração por água, em que canos percorrem as peças, diminuindo sua temperatura, e o novíssimo sistema à base de nitrogênio líquido, capaz de colocar os componentes a temperaturas extremamente baixas, o que é ideal para quem testa os limites de velocidade em algumas peças.

Alguns modelos de coolers para componentes.

Escolha de acordo com suas necessidades

Para finalizar a matéria, vale lembrar que a opção de coolers e a maneira que você vai colocá-los no computador dependem, e muito, do que você fará com a máquina, além das peças que ela contém. As placas de vídeo mais poderosas, por exemplo, já vêm com ótimos dissipadores e coolers especiais, ajudando a mantê-las em uma boa temperatura durante os games.

A maioria dos processadores também já conta com um sistema de refrigeração original, que, na grande maioria dos casos, dá conta do recado. Caso você não tenha plenos conhecimentos sobre o assunto, vale lembrar que o importante é fazer o ar do seu gabinete circular, retirando o ar quente e permitindo que o ar frio entre sem problemas.

Cupons de desconto TecMundo: