Imagem de: Grafeno é uma proteção contra balas mais eficiente que kevlar
Fonte: Wikimedia Commons

Grafeno é uma proteção contra balas mais eficiente que kevlar

1 min de leitura
Avatar do autor

Você já deve conhecer uma série de possibilidades de aplicação do grafeno na ciência e na indústria, mas essa é novidade: pesquisadores da Universidade de Massachusetts, nos Estados Unidos, descobriram que o material pode ser duas vezes mais efetivo que os atuais compostos de coletes à prova de balas.

Basicamente, o grafeno é uma lâmina de átomos de carbono reunidos em cadeias hexagonais, formando uma espécie de cadeia de pequenas colmeias. Por ser ao mesmo tempo leve e feito de um material resistente, a hipótese era de que ele seria capaz de absorver impactos com precisão.

O problema é testar essa possibilidade: em vez de balas de verdade, que obviamente desintegrariam estruturas com átomos de tamanho, os cientistas usaram pulsos de laser que dispararam "balas" de vidro microscópicas a 11.000 km/h em uma série de lâminas de grafeno sobrepostas.

A descoberta é de que o grafeno absorve grandes quantidade de energia cinética, esticando-se em forma de cone e, em seguida, arrebentando na direção seguinte. Fora essa última consequência, o resultado foi considerado um sucesso.

Ainda assim, nem adianta ficar muito animado: aplicações envolvendo grafeno não costumam sair dos laboratórios, o que significa que coletes feitos com esse material dificilmente verão a luz do dia. Uma boa notícia é que o sucesso no desenvolvimento desse teste fará com que as microbalas sejam usadas em outras oportunidades, como em provas de resistência de diversas substâncias.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
Grafeno é uma proteção contra balas mais eficiente que kevlar