O sistema de transportes de São Paulo está passando por diversas mudanças que refletem em todos os âmbitos do trânsito e do cotidiano do paulistano, com a chegada das ciclovias, o aumento das faixas de ônibus e mais. Agora, o prefeito Fernando Haddad está implantando rede de internet sem fio em alguns veículos da cidade – já são mais de 100 em toda São Paulo –, mas isso custa caro às companhias.

As empresas de ônibus que ganharem a nova licitação dos transportes em SP terão de investir R$ 22 milhões para a implantação do WiFi dentro dos veículos, informa o edital de licitação do novo sistema de transportes de São Paulo, publicado na última quinta-feira, 9. As empresas escolhidas vão gastar esse valor, que faz parte de um total de R$ 800,5 milhões, de acordo com a publicação. Esse investimento serve para implantar uma central de controle de operações.

Os ônibus “sanfonados” vão dominar

A ideia da prefeitura paulistana é aumentar a quantidade de ônibus “sanfonados” – ou superarticulados – com o novo sistema de transporte. Os veículos que operam com internet sem fio integrada possuem um adesivo (que simboliza o serviço) igual ao que você confere na imagem que abre esta notícia.

Curiosamente, mesmo com esse investimento pesado, as empresas devem lucrar. Isso porque 15% da receita obtida com publicidade de internet fica com a SPTrans, que depois repassa dois terços desse montante às companhias.

Com a nova licitação, a prefeitura quer que o número de ônibus circulando com WiFi chegue aos 2,5 mil até 2017. Apenas lembrando: atualmente, são apenas 100. Os 2,5 mil representam 17% do total da frota paulistana de ônibus.

Cupons de desconto TecMundo: