Google domina a publicidade na web

Pesquisas, email, calendário, agenda, editor de texto e YouTube. É praticamente impossível navegar na internet nos dias de hoje sem deixar de passar por ao menos um serviço mantido pela gigante Google. Presente em praticamente todos os setores da web, uma de suas principais características é o fato de oferecer seus serviços ao grande público gratuitamente.

Entretanto, pare e pense um pouco. Se todos esses serviços que você consome são gratuitos, não importando o quanto você os utiliza, como a Google consegue transformar os seus acessos em dinheiro, a ponto de se tornar uma das maiores empresas de tecnologia do mundo e, segundo o instituto de pesquisa BrandZ, a marca mais valiosa do planeta?

De clique em clique

Anúncios e relevância. Essas parecem ser as duas palavras-chave para definir o segredo por trás de um dos maiores impérios tecnológicos construídos na história da internet. Somente em 2010 o faturamento chegou à casa dos US$ 20 bilhões, com lucro líquido médio de US$ 2 bilhões a cada trimestre.

Mas se você não paga nada por isso, de onde vem o dinheiro? A lógica é simples. Além de ter criado um dos mecanismos de busca mais eficientes já existentes, o Google utiliza espaços publicitários para exibir anúncios de contexto sobre assuntos relacionados à sua busca.

No destaque, anúncios de contexto

Um exemplo: digite “floricultura Curitiba” na página de buscas. Note que, no topo dos resultados e, eventualmente, na lateral direita deles, você verá listada uma série de floriculturas e links comerciais. Para estarem presentes ali, os comerciantes pagam pelo espaço. Os valores iniciam a partir de US$ 0,01.

Cada anunciante pode determinar se quer pagar por exibição do anúncio ou apenas por clique. Os anúncios de contexto são vinculados a palavras-chave digitadas pelo usuário. Assim, não faria muito sentido exibir anúncios de floriculturas se o termo buscado foi “computadores”. O segredo está em cruzar os dados e potencializar as possibilidades de clique.

Todos ganham

Além dos anúncios de contexto serem exibidos nos resultados da busca, eles estão presentes em muitos outros espaços. Vídeos do YouTube, barra lateral e superior de sua conta do Gmail e mesmo em aplicativos para smartphones. Basta clicar para ser direcionado para o site do anunciante.

Anúncio de contexto no Gmail

Além disso, para os proprietários de sites e blogs, o programa Google AdSense é uma fonte alternativa de renda. Assim, a Google intermedeia a colocação de anunciantes em potencial diretamente nas páginas de um blog que, do contrário, dificilmente seria encontrado por grandes anunciantes.

Ao clicar em um anúncio de contexto em um blog, por exemplo, parte do valor pago pelo anunciante é destinado àquele que cede o espaço. Assim, quanto maior for o número de visualizações, potencialmente maior será o número de cliques e, consequentemente, maiores serão os ganhos de todos.

Investimentos em tecnologia

Embora a Google seja uma das empresas que oferta sempre o que há de mais inovador em termos de tecnologias, o formato publicitário adotado permanece o mesmo. A busca de novas ferramentas, e melhorias às já existentes, serve, prioritariamente, como uma forma de atrair cada vez mais usuários e fidelizá-los aos seus produtos.

Entretanto, embora a maior parte das receitas da empresa advenha desse formato, ele não é único meio pelo qual a empresa adquire capital. O investimento em novas tecnologias e a criação de produtos sob demanda para grandes empresas é outra vertente por onde a Google recebe diretamente.

Anúncio no YouTube

Funcionando como espécie de intermediário entre as soluções que o usuário precisa e os clientes em potencial que as empresas - de pequeno, médio e grande porte - pretendem atingir, a Google consegue, com sua plataforma, gerenciar de maneira eficiente cerca de 30% do volume mundial de anúncios veiculados na web.

Há espaço para crescimento?

Sim, há muito espaço. O formato, embora questionado por muitos proprietários de grandes sites, não dá mostras de esgotamento - pelo contrário. Com a ampliação da utilização de apps em televisores e também da exibição de conteúdo sob demanda para as TVs, as possibilidades de interação crescem.

Se a Google opta por atrair todo e qualquer tipo de anunciante, mesmo aqueles que estejam dispostos a pagar apenas US$ 100 por espaços publicitários em grandes sites, empresas como a Apple, por exemplo, seguem outras apostas.

Anúncio sobreposto em vídeo do YouTube

A plataforma iAd tem funcionamento similar, mas foco completamente diferenciado. Ela é voltada para peças mais interativas e diferenciadas exibidas, naturalmente, com um custo maior.

Em resumo, anúncio e relevância permanecem sendo os grandes diferenciais, independente da empresa que conduz a negociação. Aquela que melhor conseguir aliar resultado para os anunciantes e praticidade para os usuários certamente conquistará com facilidade a liderança do mercado. Pelo menos por enquanto, esse posto é da Google.

Cupons de desconto TecMundo: