A Google tem, desde 2009, um projeto para produção de um veículo autoguiado. Embora a ideia seja mais antiga que isso, a participação da gigante americana tem trazido avanços consideráveis para o desenvolvimento de tecnologias que poderão tirar o papel de motorista das mãos humanas.

Os testes estão sendo feitos utilizando 32 veículos, sendo 23 SUVs e nove protótipos. Ao todo, mais de um 1.600.000 quilômetros já foram percorridos de forma autônoma, sem qualquer tipo de intervenção humana nos controles dos carros. São feitos aproximadamente 16 mil quilômetros por semana em ruas públicas.

Com todo esse tempo – e distância –, é natural que acidentes aconteçam: foram registrados 13 incidentes desde 2009, e, segundo a Google, nenhum deles foi causado pelo veículo autoguiado. Na verdade, a maior parte dos acidentes envolveu algum motorista desatento que bateu na traseira dos carros da empresa.

Quando uma batidinha importa

Depois de questões serem levantadas a respeito desses incidentes, a Google reforçou seu compromisso com a transparência do projeto e agora vai emitir mensalmente um relatório de tudo o que acontece com o veículo autoguiado, até os acidentes – caso eles aconteçam, é claro.

No primeiro documento emitido, referente a maio desse ano, um incidente foi reportado: como é de se esperar, foi um acidente onde um motorista colidiu com a traseira de um dos veículos da Google enquanto trafegava a quase 2 km/h. Não é exatamente o que podemos chamar de emocionante.

No entanto, é uma ótima iniciativa para que as pessoas entendam o que está acontecendo quando virem um carro trafegando pelas ruas sem ninguém dentro.

Cupons de desconto TecMundo: