Quem acessa a página principal do sistema de buscas da Google se depara nesta quarta-feira (13) com um Doodle que presta homenagem à cientista Inge Lehmann. Nascida em 1888, a dinamarquesa viveu durante impressionantes 104 anos e fez diversas contribuições ao campo da sismologia que revolucionaram os estudos da área.

Durante a década de 1920, Inge foi uma das primeiras estudiosas a cogitar que o interior da Terra era formado por muito mais que solo, rocha e outros elementos comuns. Ela teorizou que, no interior do planeta, havia um núcleo formado por materiais muito diferentes do que se conhecia na época.

A hipótese tomou como base o fato de que as ondas P criadas por terremotos diminuíam sua aceleração quando atingiam determinadas áreas do centro terrestre, algo que intrigava cientistas da época. A teoria foi aceita rapidamente por seus companheiros do campo científico, que até então partiam do pressuposto que o núcleo do planeta era formado por material fundido.

Contribuições gigantescas

Em outras palavras, a graduanda de Cambridge se tornou especialmente importante na história humana por descobrir o que há no interior da Terra. Tudo isso vindo de alguém que iniciou seu trabalhou no campo da sismologia como uma assistente e, com seus esforços, acabou por se tornar a chefe do departamento no Instituto Geodésica da Dinamarca.

Suas contribuições para a área renderam diversas homenagens, incluindo a nomeação do asteroide 5632 Ingelehmann e um lugar na espaçonave US Route 1 que ganhou seu nome. Além disso, ela possui uma ponte na Flórida com seu nome, bem como uma medalha concedida em 1997 pela American Geophysical Union.

Cupons de desconto TecMundo: