Em 2012, a Google sofreu um processo nos Estados Unidos em que teve que pagar US$ 22,5 milhões (R$ 72,16 milhões) por burlar uma diretiva de segurança do Safari que deveria evitar que cookies de rastreamento utilizados para mostrar propagandas direcionadas fossem instalados no navegador.

Agora, no Reino Unido, um grupo conhecido como “Safari Users Against Google's Secret Tracking” (Usuários do Safari contra o monitoramento secreto da Google) quer que a empresa americana responda legalmente pelo problema diretamente na Inglaterra.

A Court of Appeal do Reino Unido aceitou o processo das pessoas que se sentiram prejudicadas pela falha, o que significa que agora há um precedente aberto para que futuras ações legais contra a Google ocorram fora dos Estados Unidos.

Embora o tribunal inglês ainda não tenha decidido se as pessoas prejudicadas pela brecha de segurança serão ou não indenizadas, a decisão de aceitar o caso deixou claro que o fórum local está disposto a defender esse tipo de ação diretamente na Inglaterra, facilitando assim as disputas contra empresas estrangeiras.

A Google Action Group, uma organização sem fins lucrativos criada para gerenciar o caso, disse que milhões de britânicos que utilizaram o navegador Safari em um Mac, iPad, iPhone e iPod Touch entre o verão de 2011 e a primavera de 2012 estão aptos a entrar no processo. Isso significa que as pessoas poderão tentar obter uma compensação caso fique comprovado que cookies de rastreamento da Google realmente violaram sua privacidade.

Cupons de desconto TecMundo: