O ritmo de crescimento da Google parece ser, antes de encantador, assustador. É que, em ato simbólico, o Parlamento Europeu (EP) votou nesta quinta-feira (27) a favor da separação entre o motor de buscas e os demais serviços oferecidos pela companhia. O motivo é o tamanho da gigante. De acordo com a solicitação enviada à Comissão da União Europeia, o objetivo é fornecer “condições de concorrência justas para os outros serviços comerciais”.

O nome da Google não foi formalmente mencionado durante a votação. Vale notar, porém, que a Gigante das Buscas detém 90% do mercado europeu de recursos online dedicados a pesquisas. O recado, assim, é bastante claro: foram 384 votos a favor do isolamento da engine de buscas face aos 174 votos contra a proposta apresentada pelo Parlamento Europeu.

Resultado da votação simbólica realizada hoje (27).

Importante mencionar que o órgão diplomático não possui competência para determinar as estratégias de mercado utilizado por empresas. Mas o efeito gerado pelo crescimento da Google não é visto como algo necessariamente devastador por todos os analistas. A linguagem adotada pelo mecanismo da empresa é “forte” e se constitui como “guardiã” de parâmetros de serviços. A outra posição acerca do monopólio visa garantir a neutralidade da rede.

“O Parlamento Europeu endossa a campanha política contra o monopólio: ‘pela fragilização dos motores de busca se necessário’”, afirmou o órgão em publicação feita via Twitter. “Todo o tráfego na internet deve ser tratado de forma igualitária, sem discriminação, restrição ou interferência, independente de seu provedor, destinatário, conteúdo, dispositivo, serviço ou aparelho”, diz trecho sobre a neutralidade da rede, bandeira defendida pela EP.

Cupons de desconto TecMundo: