O laboratório de pesquisas avançadas da Google, o Google[x], não para de trazer à tona os mais diversos tipos de tecnologias para manter a empresa no limite da inovação. Depois de desenvolver produtos como o Google Glass e o carro autônomo que não precisa de motorista, a divisão revelou nesta quinta-feira (28) mais um projeto que estava sendo guardado em segredo até então: o sistema de entregas via drone chamado Project Wing.

Em desenvolvimento há dois anos, o projeto parece a versão Google do serviço Prime Air, anunciado pela Amazon no fim do ano de 2013, que é focado em transporte aéreo por drones para realizar entregas expressas. Porém, o Project Wing foi pensado para servir propósitos mais humanitários, podendo levar remédios e mantimentos para zonas isoladas ou regiões vítimas de catástrofes naturais, como enchentes e terremotos.

Máquina aérea

Apesar de ter adquirido recentemente a Titan Aerospace, empresa que fabrica drones para grandes altitudes movidos à energia solar, o aparelho usado no projeto é outro, criado pela equipe do Google[x]. Relativamente pequeno, com 1,5 m de envergadura, o robô voador tem quatro propulsores elétricos, pesa apenas 8,5 kg e consegue transportar cargas de até 10 kg.

Equipado com GPS, rádio, câmeras e diversos tipos de sensores, o veículo só precisa ter o seu destino pré-programado para que possa ir sozinho ao local. O aparelho usa um sistema híbrido de movimentação, que faz com que o veículo decole e pouse na vertical, mas possa mudar para o sentido horizontal e voar rapidamente. Isso acaba facilitando para que o drone não dependa de um terreno amplo para alçar voo e permite que ele plane em uma posição fixa caso seja necessário.

Os testes do produto envolveram entregas de kits de primeiros-socorros, doces, biscoitos de cachorro e água para fazendeiros e foram realizados na Austrália, que tem leis mais progressivas sobre o trânsito de drones comerciais. “Só estamos começando a desenvolver a tecnologia para tornar possível um sistema seguro de entregas, mas acreditamos que há um grande potencial para transportar produtos de forma mais rápida, segura e eficiente”, diz a Google na descrição do vídeo do Project Wing no YouTube.

A Google esbarra nas mesmas restrições feitas ao sistema de entregas da Amazon em solo norte-americano, precisando de autorização da Administração Federal de Aviação (FAA) para colocar a tecnologia em prática. Ainda que o serviço da gigante da internet seja voltado para emergências, não está descartado o uso comercial dos drones de entrega futuramente. Será que isso chega aqui no Brasil?

Cupons de desconto TecMundo: