Nesta semana, na conferência do Google Zeitgeist no Arizona, foi confirmado pelo CEO da Google, Eric Schmidt, que o Google Me deve ser lançado nos próximos meses, durante a primavera.

Apesar de geralmente a empresa anunciar produtos ou serviços novos,  com o Google Me, o procedimento deve funcionar de uma maneira diferente. Em vez de criar um local centralizado, como um site, a novidade deve ser uma integração de todos os serviços Google com uma "pitada" de sociabilidade.

A integração do Google Me

Ainda não é certo o destino da novidade, mas muitos acreditam nessa integração como uma adição de elementos de redes sociais com outros serviços, como chats e "status".

Logo não oficial.

É como se fosse possível saber o que cada amigo seu está assistindo no YouTube enquanto lê os feeds compartilhados por ele, por exemplo. O crescimento e maior utilização do Google Latitude seriam outros aspectos bastante fortes (clique aqui para saber mais sobre ele). As informações de buscas e o que você faz na internet junto com seus amigos torna possível fazer recomendações personalizadas. Os serviços funcionam bem e dizem muito sobre cada usuário.

Isso tudo pode vir junto com jogos sociais, um investimento cada vez mais comum, tendo em vista que até a Apple lançou seu "Game Center" para os jogos do iPhone. Um acordo com a empresa Zynga, por exemplo, pode trazer o Farmville para o Google Me.

E a privacidade?

Foi discutido na conferência sobre a obtenção de dados de outros serviços, como o Facebook, que precisaria ser um pouco mais aberto para que o Google pudesse obter informações. A privacidade de cada um nas redes sociais sempre é um fator a ser discutido.

Se o Google realmente pegar informações como quem são seus amigos e o que você faz, a todo momento, isso pode acabar sendo algo prejudicial.

Previsões

Talvez seja uma boa ideia apenas integrar os serviços que já existem, como uma grande rede social, em vez de lançar algo mais centralizado, como é o Facebook e o Orkut. Isso porque a web está saturada desses tipos de redes, de forma que uma acaba "pegando" características da outra na tentativa de agradar a todos os usuários.

Google Buzz.

Foi possível perceber que inovações e integrações são necessárias para que o desastre não seja certo, como ocorreu com o Google Buzz. Além disso, já é conhecida a força da Google ao lançar qualquer aspecto e/ou novidade.

A explosão inicial com a saída de qualquer notícia da empresa é sempre grande. E quando o serviço ou produto é realmente bom, os usuários aderem, como ocorreu com o navegador Chrome. Sendo assim, se o Google Me deixar os internautas satisfeitos, o Facebook pode começar a se preocupar.

Cupons de desconto TecMundo: