Executivo quer blindar sua empresa e clientes contra "espionagem" (Fonte da imagem: Reprodução/Prosper)

Para Eric Schmidt, executivo do conselho diretor da Google, a censura na China pode ser superada em uma década com a ajuda da criptografia. De acordo com ele, criar sistemas e comunicações mais seguros iria impedir governos, como o chinês e o norte-coreano, de controlarem o que seus cidadãos publicam e enviam para a rede. Dessa maneira, qualquer um poderia ter voz na internet sem sofrer severas consequências.

Schmidt explicou recentemente em Davos, na Suíça, que melhorar os sistemas de criptografia iria “criar um problema para governos como o da China”. Em 2010, a Google moveu suas operações chinesas para Hong Kong por conta de problemas com o governo local.

Além da criptografia, Schmidt ainda acredita que, em algum momento, o uso de redes sociais e outros meios de comunicação na web será tão disseminado na China que o governo não conseguirá mais controlar o fluxo de informações da forma que faz hoje, com pessoas avaliando e apagando postagens que não seguem as condutas esperadas para a população. Essa seria a segunda “arma” contra a censura.

O executivo disse também que a Google trabalha em uma forma de reforçar sua criptografia para que nenhum governo, incluindo a China, possa penetrar em seus serviços e impedir o funcionamento deles.

Cupons de desconto TecMundo: