Embora algumas versões do Google Chrome já suportarem aplicativos online há algum tempo, a opção agora vem ativada por padrão. A partir desta terça-feira (03/08), as versões Dev e Canary do navegador dispensam o comando do usuário para a ativação do recurso Google Apps.

Mesmo que o fato em si não represente nenhuma revolução, isso indica que as os aplicativos nas nuvens do Google Chrome estão prestes a ser lançados no mercado. E já que o mesmo sistema dá suporte às funções do Chromium OS, o sistema operacional da Google baseado em aplicações da rede encontra-se em sua fase final de desenvolvimento.

Aplicações web no lugar de programas

Quando apresentado pela primeira vez ao público, o sistema operacional não demonstrou todo seu potencial pela falta de recursos. Como forma de suporte e disponibilização de programas, o SO contará com um serviço conhecido como Chrome Web Store. Tanto a loja da Google como o Chromium OS têm lançamento previsto ainda para este ano.

Editor gráfico rodando no Google Chrome.

Ferramentas para o Google Docs, Gmail e Twitter são encontradas gratuitamente; já os aplicativos mais robustos serão adquiridos exclusivamente através da Chrome Web Store. Nem só editores de texto e ferramentas para escritório compõem sua biblioteca de aplicativos, aguardam-se grandes jogos na “loja das nuvens” da Google.

Navegador ou sistema operacional?

Há algum tempo o sistema de aplicativos web do Google Chrome já vem sendo testado por alguns usuários. Para sentir o gostinho dos aplicativos rodando direto da internet, Transforme seu Google Chrome no Chromium OS, como sugerido nesse artigo.

Além de separar as páginas da web, as abas definem os aplicativos que estão em execução. Assim o usuário une navegação e programas em uma única interface em que mudar de tarefa é tão simples quanto alterar a aba de navegação. E para quem pensa que recursos da web não são capazes de uma boa experiência, fica o exemplo do Google Earth e Google Docs.

Cupons de desconto TecMundo: