(Fonte da imagem: Reprodução/Google)

Imagine que você está realizando buscas no Google e decide fazer uma com o seu próprio nome. Qual seria a sua reação ao perceber que o recurso de autocompletar insere um “deveria ser demitido” logo ao lado do seu nome? Dificilmente alguém ficaria feliz com isso. E um usuário japonês, ao passar por isso, alegou passar por “angústia mental”, movendo uma ação judicial contra a empresa de Mountain View.

A Google já havia sido notificada anteriormente sobre o caso, quando foi pedido apenas para que houvesse uma mudança no recurso, fazendo com que o nome do homem não fosse mais relacionado aos termos de demissão. Como a empresa de Mountain View se recusou a realizar as modificações, surgiu a multa financeira. O tribunal japonês também sugeriu que o motor de buscas não utilize mais o recurso de autocompletar.

O homem, que não teve o nome revelado, venceu na corte japonesa e pode receber a quantia de US$ 3.082 (R$ 6.120) pelo constrangimento — ele alega ainda que está tendo dificuldades para encontrar empregos desde que ocorreu o incoveniente. A Google afirma que não é obrigada a mudar as regras de seus algoritmos, pois as centrais de operação de buscas do motor não são baseadas no Japão. Mesmo assim, a empresa vai estudar mudanças para o país.

Cupons de desconto TecMundo: