Imagem de: Google Reader deve ser fechado em primeiro de julho

Google Reader deve ser fechado em primeiro de julho

1 min de leitura
Avatar do autor

A Google acaba de anunciar que o seu leitor de feeds, o Reader, fechará as portas no dia 1º de julho. De acordo com a companhia, o motivo principal é o “declínio nas utilizações”. Trata-se de parte de uma medida batizada de “faxina da primavera”, a qual pretende desativar um número considerável de serviços, de forma que a Google possa se manter focada em produtos considerados essenciais.

Reações à "faxina de primavera"

(Fonte da imagem: Reprodução/BringGoogleReaderBack)

O anúncio certamente não passou batido para um grupo particularmente cioso de utilizadores do serviço. Uma comunidade de fãs do leitor de notícias organizou um levante de múltiplas vias para expressar a sua indignação em ambiente online — e, eventualmente, alterar a decisão funesta da companhia.

Além do site BringGoogleReaderBack.com — que se resume a um GIF animado da musa nerd Alison Brie juntamente com a frase “Vocês deveriam trazer de volta o Google Reader” —, o grupo também organizou uma petição exigindo a permanência do leitor. Há também uma conta no Twitter.

Qual será o resultado desse grêmio online movido pela frustração de perder um clássico leitor de notícias? Difícil prever. De fato, a petição acumula atualmente pouco mais de 15 mil assinaturas, boa parte delas focada em coisas como “Eu não gosto do Google+” ou “O que mais tem para se usar?”. Resta aguardar uma ação da política de boa vizinhança da Google.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
Google Reader deve ser fechado em primeiro de julho