É praticamente impossível escapar da Google – ela está em todos os lugares. O buscador é o mais utilizado da internet, o YouTube é dela, o serviço de email e o navegador são extremamente funcionais, os mapas são completos, o sistema operacional móvel é o mais popular do mundo, o tradutor pode salvar você em momentos de aperto, o sistema de publicidade é altamente rentável... São inúmeros os exemplos. Mesmo sendo um grande fã da empresa, você possivelmente ainda não usou todos os serviços oferecidos por ela, tamanha a quantidade de ferramentas e páginas existentes.

Desde a fundação da companhia, em 1998, fatos curiosos e números inacreditáveis fazem parte da história da Google. Alguns já são de conhecimento da maioria da população conectada que não vive sem esses serviços, enquanto outros são um pouco mais obscuros. Abaixo, fizemos uma seleção só com o que de mais incrível aconteceu com a gigante em todos esses anos de vida.

1. Massagem nas costas

O primeiro nome do buscador de Larry Page e Sergey Brin foi "BackRub". O sistema foi criado em 1996 como um mecanismo que analisava dados baseados em backlinks, páginas da internet com redirecionamento para outra postagem — como a página de resultados do Google ou um texto com "Clique aqui para saber mais". O curioso é que o termo significa literalmente, em português, "esfregar as costas". Já pensou se o nome continuasse esse?

2. "Aff, estagiários"

Em busca de um nome melhor, a ideia era achar um termo que fosse relacionado a "catalogar uma imensa quantidade de dados". O que surgiu foi o termo "googol", que é 10 elevado à centésima potência, e "googolplex", 10 elevado a um googol. Enquanto procurava por domínios de hospedagem, Sean Anderson, um dos assistentes de Larry e Sergey, errou a escrita da palavra e pesquisou por "Google.com", que estava livre. A dupla curtiu o neologismo e registrou a página em 15 de setembro de 1997.

3. O primeiro doodle

Quase todos os dias, a página inicial do buscador está diferente, com a logo desenhada em um dos chamados doodles. Mas qual foi o primeiro? Em 30 de agosto de 1998, Larry e Sergey viajaram para o Burning Man Festival, um evento de arte e expressão que acontece no deserto de Black Rock, em Nevada. Para avisar ao público que o site estava sem manutenção e sem a presença dos fundadores durante o fim de semana, a logo do festival foi colocada junto ao nome.

4. Brincando de Google

Lidar com tantos dados e algoritmos não é fácil hoje e era muito pior em 1996. O primeiro equipamento de armazenamento da empresa consistia em dez unidades de disco de 4 GB (tecnologia de ponta na época) dispostas em um grande e colorido bloco de LEGO. O gabinete foi montado assim por ser facilmente expansível, desmontável e, acima de tudo, barato.

5. Já carregou?

A página inicial do buscador é minimalista e objetiva, mas ela começou assim só porque Larry e Sergey não eram grandes conhecedores de HTML para algo mais elaborado. O estranhamento inicial foi grande: nos primeiros testes, as pessoas encaravam o monitor por vários segundos esperando que mais algum elemento fosse carregado naquela tela excessivamente branca.

6. A primeira vez ninguém esquece

Notícias da Google comprando startups ou grandes empresas hoje são rotina. Porém, a primeira aquisição da companhia aconteceu em 2001: foi a Deja News, um sistema de busca que listava mensagens postadas em grupos de discussão Usenet. O banco de dados histórico de artigos, notícias e outros conteúdos até já foi cedido para consultas de universidades e foi transformado nos "Grupos do Google".

7. Google, propriedade do Yahoo!?

Historicamente um dos grandes rivais do Google, o Yahoo! poderia ser, na verdade, dono do atual líder do mercado de buscas. Em 2002, o CEO, Terry Semel, teve recusada uma oferta de US$ 3 bilhões para comprar a empresa de Mountain View. Em uma reunião com o conselho, Semel recebeu a informação de que um valor justo seria US$ 5 bilhões — quase todo o orçamento de negócios daquele ano. Como a Google era menor e menos rentável que o concorrente, o executivo bateu o pé e se recusou a fazer uma nova proposta.

8. Surra na bolsa de valores

A Google abriu o capital no mercado de ações (a chamada IPO) em 2004 e terminou o primeiro dia de negociações com US$ 85 por unidade — um fracasso para a época e para a empresa, que tentava comercializá-las a US$ 100. O mundo dá voltas e, em dez anos, elas valorizaram 1.294%. Se você investisse US$ 10 mil na época e guardasse os papéis, eles valeriam hoje cerca de US$ 139,4 milhões.

9. "Just google it"

O verbo "google" (que em português poderia muito bem ser algo como "googlear") foi inserido nos renomados dicionários Merriam-Webster e Oxford English Dictionary em 2006. Dentro da empresa, dois termos foram criados para os funcionários: os "googlers" são os veteranos da casa, e os "nooglers" são os novatos, aqueles que usam um chapéu colorido com uma hélice no topo.

10. Estreias

Feito em 25 de fevereiro de 2009, o primeiro tweet da conta oficial da Google foi "I'm feeling lucky" ("Estou com sorte"), com as duas últimas palavras escritas em binários. A postagem inicial no Facebook foi em 27 de julho do mesmo ano, mas foi um recado tradicional.

11. Números incríveis

O Google processa em média 40 mil pesquisas por segundo, resultando em 3,5 bilhões de buscas por dia e 1,2 trilhão de buscas do no ano em todo o mundo. O site já achou mais de 30 trilhões de URLs únicas e captura cerca de 20 bilhões de sites novos a cada dia — sendo que retira vários outros por inúmeros problemas, como infringir direitos autorais.

12. Um mundo de novidades

De acordo com dados de 2012 da própria empresa, de 16% a 20% das buscas feitas todos os dias no Google são novidades, ou seja, coisas que nunca haviam sido perguntadas antes (ou escritas em uma determinada combinação de palavras).

13. Onde tudo é guardado

Além dos supercomputadores, os atuais data centers da Google são formados por conjuntos de tubulações que levam água para resfriar os equipamentos, além de incontáveis fios que, nas fotos oficiais, parecem bem organizados. As redes de fibra óptica que ligam os prédios são 200 mil vezes mais rápidas que uma conexão residencial de internet. Seis deles estão nos EUA. Finlândia, Chile, Singapura, Taiwan, Bélgica e Irlanda têm uma unidade cada.

14. A personificação do Gmail

O Gmail tem mais de 500 milhões de usuários e, no início de 2014, uma pesquisa determinou quem é o "usuário-padrão" do serviço: são jovens adultos e magros do sexo masculino com tendências políticas liberais. Eles são solteiros, sem filhos, sem religião definida e gostam de ler blogs. A faixa etária está entre 18 e 34 anos.

15. Celeiro de craques

Contando com uma equipe de primeira, a Google também revela grandes executivos e engenheiros que, após um período na empresa, tornam-se estrelas de outros locais. Vigésima funcionária da história da companhia de Mountain View, Marissa Mayer virou CEO do Yahoo! e uma das mulheres mais poderosas da tecnologia. O brasileiro Hugo Barra é hoje o homem por trás da expansão da fabricante chinesa Xiaomi. O turco Orkut Büyükkökten criou a rede social mais nostálgica do Brasil como um projeto paralelo na época em que era engenheiro de software na empresa.

16. Stan, o dinossauro

O campus da Google conta com as famosas estátuas com as versões do Android, mas lá vive também um morador menos conhecido. Trata-se de Stan, o esqueleto de um T-Rex. A réplica é baseada no fóssil mais completo já descoberto da espécie — que também se chama Stan, uma homenagem ao descobridor dos restos da criatura. Encomendar uma escultura dessas do centro de paleontologia Black Hills Institute of Geological Research custa cerca de US$ 100 mil. O Stan da Google normalmente está coberto de estátuas de flamingos de plástico.

17. Trabalhe conosco

A cultura corporativa nas sedes da Google já não é segredo: o local está todo ano na lista de melhores empresas para se trabalhar. A estrutura de Mountain View, as "regalias" do ambiente de trabalho e o escritório com alimentação, entretenimento e diversão sem parar até viraram tema do filme "Os Estagiários" — ficcional e de comédia, é verdade, mas virou. São 42.162 funcionários só nos Estados Unidos.

18. "Méééé..."

Em 2009, foi noticiado que a empresa alugou 200 cabras de uma companhia em Mountain View para ajudar a cortar a grama do campus da empresa. As alternativas seriam agentes químicos ou cortadores de grama que consumiriam muito combustível. O bando era controlado pela border collie Jen e, ao mesmo tempo, deixava também o gramado cheio de fertilizantes naturais.

19. A Google é uma "dog person"

O código de conduta da empresa começa com o lema não oficial "Don't be evil" ("Não seja malvado"), mas várias outras informações interessantes estão lá. A empresa não esconde que gosta muito de cachorros — alguns funcionários do alto escalão podem levar os animais para o trabalho, e eles podem até ficar no escritório, mas atender ao chamado da natureza nos carpetes resulta em ficar de castigo em casa. Outros cães autorizados podem circular pelo campus. Gatos? "Nós gostamos de gatos, mas somos uma companhia de cães, portanto, como regra geral, achamos que gatos visitando nossos escritórios seria muito estressante", diz o regulamento.

20. O que você vê?

A porcentagem de resultados das buscas do Google está cada vez mais diversificada e não se resume mais somente a sites. A divisão de buscas de palavras-chave que retornam determinados conteúdos é a seguinte:

  • 65% das pesquisas realizadas no Google mostram vídeos
  • 40% mostram imagens
  • 16% mostram notícias
  • 6% mostram ofertas de compras
  • Menos de 1% mostram mapas

Cupons de desconto TecMundo: