Ostentação é uma palavra bastante usada nos dias de hoje, principalmente em brincadeiras entre os mais jovens e em diversos comentários pela internet. Porém, se há um local no mundo que simboliza verdadeiramente o significado dessa palavra, esse lugar é Dubai. Com máquinas automáticas que vendem ouro e possuindo o maior arranha-céu do mundo, a cidade situada nos Emirado Árabes deu um passo além no quesito extravagância: sua força policial receberá o Google Glass para combater o crime.

A ideia é que, por meio de um programa desenvolvido pela polícia de Dubai, os agentes que estiverem usando o Google Glass possam se conectar facilmente ao banco de dados das autoridades. Sendo assim, os policiais podem fotografar placas e aplicar diretamente penalizações de trânsito ou solicitar mais dados sobre o motorista.

Em uma segunda fase, o serviço deve englobar uma função de reconhecimento facial, que pode passar a ficha do sujeito avistado pelo policial e avisá-lo caso ele esteja na lista de pessoas procuradas pela justiça. O aparelho permite ainda que os agentes não precisem desviar a atenção do suspeito e mantém suas duas mãos livres para uma eventual situação de confronto.

Pagando para ver

Não é como se a polícia da metrópole fosse humilde antes de receber o novo dispositivo. A força já usa no dia a dia possantes carros de luxo para patrulhar as ruas da cidade e perseguir infratores. Veja bem, não estamos falando de um automóvel um pouco mais parrudo e sim de diversas unidades de Bugatti Veyron, custando US$ 1 milhão cada, e Lamborghini Aventador, que não saem por menos de US$ 350 mil – R$ 2,5 milhões e R$ 870 mil, respectivamente.

Apesar de a região ainda estar se recuperando de uma recessão ocorrida em 2009 e de as taxas de crimes locais serem bem baixas, a administração do emirado não vê problemas em injetar quantias extraordinárias de dinheiro em sua força policial.

Alguém aí gostaria de dirigir um carrão ao mesmo tempo em que usa um Google Glass a caminho do trabalho? É melhor entrar na fila.

Cupons de desconto TecMundo: