(Fonte da imagem: Divulgação/Google)

Para Vic Gundotra, vice-presidente de engenharia da Google e responsável pelo Google+, a rede social da empresa não deveria ser enquadrada dessa forma. Segundo ele, o serviço funciona como uma malha capaz de integrar as marcas da companhia, como Gmail e Youtube, em uma única interface.

As afirmações estão publicadas em uma matéria na versão online da revista Veja. A declaração de Gudontra aconteceu durante o festival South by Southwest (SXSW), onde milhares de jovens se encontram em Austin, nos Estados Unidos, para discutir o futuro das novas tecnologias na internet.

Gundotra bateu um papo sobre o Plus com Guy Kawasaki, ex-funcionário da Apple e cofundador da revista Alltop.com, especializada em tecnologia. Ele também é autor do livro “What the Plus?”, sobre o Google+.

Gundotra ressaltou que o Google+ não é uma rede social após Guy relatar sua experiência negativa com o produto, comparando-o à primeira vez que usou um Macintosh. Para Gundotra, o maior problema é o fato das pessoas confundirem o produto do Google com uma rede social.

Guy provocou o executivo da empresa de Mountain View, ao apresentar pesquisas recentes afirmando que as pessoas permanecem mais tempo conectadas ao Facebook do que ao Google+. Com relação aos dados, o engenheiro explicou que é preciso levar em conta que ao estar logado em um serviço do Google, o internauta está automaticamente conectado ao Plus. Ele ainda afirmou que as pessoas estão alimentando seus perfis enquanto usam outras ferramentas e, segundo ele, isso não está sendo levado em conta.