Os usuários de internet da China estão passando por um problema bem sério desde o último sábado. Segundo algumas fontes ligadas à agência Reuters, o firewall controlado pelo país para evitar que algumas informações entrem ou saiam das fronteiras chinesas seria o responsável por um bloqueio parcial no Gmail — que teve boa parte de seus endereços ficando totalmente inacessíveis nos últimos três dias.

Enquanto o governo chinês afirma que não tem qualquer responsabilidade pelo bloqueio, um grupo anti-censura chamado “GreatFire” diz que toda a situação foi causada pelos sistemas de interferência governamentais. É importante dizer que até mesmo pessoas ligadas à Google afirmam que o tráfego de dados caiu bastante desde sexta, mas não houve interrupção total em nenhum momento.

Segundo um porta-voz do governo chinês: “A China tem sido consistente na recepção e no suporte aos investidores estrangeiros e que fazem negócios legítimos no país”. Indo além, ele também disse que o país “sempre vai prover um ambiente aberto, transparente e bom” para receber qualquer empresa internacional que optar por investir seus recursos dentro do mercado chinês.

Como já dissemos, o GreatFire afirma que o governo é o responsável, mas não dá informações sobre quando o bloqueio será interrompido. Como relembra o Engadget, os consumidores que estão atingidos pelo Grande Firewall da China ainda podem acessar os serviços de email por aplicativos conectados via POP, IMAP, SMTP ou por redes virtuais VPN. Até a manhã desta segunda-feira (29) não havia informações sobre a estabilização dos serviços.

Cupons de desconto TecMundo: