O Galaxy S5, novo membro da família de maior sucesso na história da Samsung com os smartphones, tem uma montagem bem diferente do que muitos podem imaginar. De acordo com um estudo levantado pelo site Recode, que teria tido acesso às planilhas de custos de produção do aparelho, cada Galaxy S5 gasta em média US$ 256 para ser fabricado e envolve componentes reciclados em sua montagem.

O analista Andrew Rassweiler observou que os valores dos smartphones da Samsung têm aumentado nos últimos tempos. Rassweiler, que participou do processo de pesquisa, diz que “por dentro [do aparelho] vemos componentes reciclados na maior parte, algo que não vimos antes. Não há nada de especial dentro dele que a Samsung tenha aplicado”, afirmou. O analista, por outro lado, deu créditos à companhia pelo design resistente à água do Galaxy S5.

Display do Galaxy S5: um componente bem salgado

Os componentes principais do smartphone não têm nada de incomum. O Snapdragon 801 está presente em outros aparelhos também. De acordo com o levantamento, o display é a porção mais cara do dispositivo, pedindo sozinho US$ 63 do total de US$ 256 estimados.

Já o leitor biométrico, localizado na parte traseira – se você não viu, confira nosso rápido hands-on do aparelho, em que testamos o leitor de impressão digital –, custa aproximadamente US$ 4. Para fins comparativos, o mesmo sistema da Apple custa US$ 15, quase três vezes mais que os gastos do Galaxy S5.

Há também custos envolvendo a montagem e o empacotamento – cada unidade pede cerca de US$ 5 para isso (e daí podemos pressupor itens como caixa, manuais, encartes etc.). O custo total de US$ 256, no entanto, não inclui gastos com software, distribuição ou marketing.

O Galaxy S5 já foi lançado no Brasil e tem o preço sugerido de R$ 2.599 nas principais revendas autorizadas. O Tecmundo esteve presente no evento de anúncio do aparelho por aqui, ocasião em que também foram exibidos o Gear Fit e o Gear 2, os novos relógios inteligentes da Samsung.

Cupons de desconto TecMundo: