Você pode até não ter gostado muito da ideia, mas não há como negar que há uma boa dose de inovação no phablet Galaxy Note Edge. O modelo da Samsung é o primeiro a contar com uma tela secundária, na lateral esquerda do aparelho, que exibe notificações e permite o acesso rápido a diversas funções.

O recurso, posteriormente, foi incorporado também em uma versão do Galaxy S6. Embora a novidade seja interessante, ainda é cedo para afirmar se a borda diferenciada vai dar certo ou não. A própria Samsung admite que ainda faltam aplicativos e convida os desenvolvedores a tirarem o máximo de potencial do recurso que conseguirem. 

Será que essa novidade é suficiente para justificar o preço mais alto do Galaxy Note Edge e fazer valer a pena a sua compra? Isso é o que nós vamos descobrir agora nesta análise. O phablet Galaxy Note Edge foi cedido por empréstimo pela loja Cissa Magazine.

Testes de benchmark

Para a realização desta análise, submetemos o Samsung Galaxy Note Edge a três aplicativos de benchmark. São eles: AnTuTu Benchmark 5,  3D Mark (Ice Storm Unlimited) e Vellamo Mobile Benchmark (HTML 5 e Metal).

AnTuTu Benchmark 5

Um dos aplicativos de benchmark mais conceituados em sua categoria, o AnTuTu Benchmark 5 faz testes de interface, CPU, GPU e memória RAM. Os resultados são somados e geram uma pontuação final. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

3D Mark

O teste Ice Storm Unlimited, do 3D Mark, é utilizado para fazer comparações diretas entre processadores e GPUs. Fatores como resolução do display podem afetar o resultado final. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

Vellamo Mobile Benchmark

O Vellamo Mobile Benchmark aplica dois testes ao aparelho: HTML5 e Metal. No primeiro deles é avaliado o desempenho do smartphone no acesso direto à internet via browser. Já no teste Metal, o número final indica a performance do processador. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho. 

HTML5 

Metal

Design       

Por razões óbvias, o Galaxy Note Edge chama a atenção de qualquer consumidor. Além do display de 5,6 polegadas, o aparelho conta com uma tela secundária, na lateral direita, que acompanha a curva do corpo do produto. Se por um lado isso facilita o acesso a algumas informações, por outro essa característica prejudica o manuseio, já que ao operar ele com uma só mão você sempre vai acabar resvalando no display auxiliar.

O Galaxy Note Edge vem acompanhado ainda por uma caneta S Pen e seu design é praticamente o mesmo do Galaxy Note 4. O acabamento é de boa qualidade. A tampa traseira é construída em plástico e pode ser removida, de forma que você tenha acesso à bateria e às entradas para cartão micro SD e SIM card.

Tela

A Samsung não costuma errar quando o assunto é tela. A matriz Super AMOLED garante cores nítidas e uma imagem alta qualidade. A alta resolução permite ainda uma densidade de pixels maior do que a média, o que torna o aparelho ideal para leitura ou mesmo para exibição de conteúdos multimídia. Porém, notamos uma alta incidência de reflexos sobre a tela, o que não é bom.

A borda curvada, chamada de Edge Screen Panel, permite acesso rápido a notificações e a ferramentas específicas quando certos apps estão abertos. Dessa forma, o usuário pode economizar espaço na tela principal acessando apenas os menus listados no display secundário. Entretanto, ainda há poucas funções disponíveis.

Desempenho

Assim como o Galaxy Note 4, o Edge é também um dos aparelhos mais potentes do portfolio da Samsung. Em termos de desempenho, o produto se saiu muito bem em nossos testes, não apresentando travamentos ou engasgadas em nenhum momento. Jogos que requerem maior capacidade de processamento gráfico também não serão problema.

A transição entre apps é feita de forma satisfatória. De fato, o aparelho consegue rodar com tranquilidade praticamente tudo que está disponível na Play Store. O processador Snapdragon 805, aliado a 3 GB de RAM, se mostra mais do que suficientes para atender as necessidades de todos os tipos de consumidores.

Software e Interface

A interface TouchWiz, ao menos desta vez, não decepciona e se mostra mais leve do que o que já vimos em versões anteriores. Embora o consumo de RAM continue alto, os 3 GB suprem todas as necessidades, numa garantia de que o usuário não vai ficar na mão.

A integração com a tela secundária e também com as ferramentas específicas da S Pen é a melhor possível. Essas características fazem com que a flexibilidade de uso do Galaxy Note Edge seja enorme, atendendo a praticamente todos os gostos.

Porém, vale mencionar aqui que a borda lateral ainda é uma novidade em caráter experimental: há poucos recursos disponíveis e a expectativa da Samsung é que, com o passar do tempo, os desenvolvedores se interessem pela novidade e criem novos usos para a plataforma. 

Câmera

A câmera é praticamente a mesma do Galaxy Note 4 e isso é uma boa notícia para o consumidor. Ela utiliza o sensor ISOCELL e tem abertura focal de 2.2. O tempo de acionamento do software foi bastante reduzido de forma que você pode ter disparos quase instantâneos.

A qualidade final das imagens é exuberante e certamente o modelo se coloca entre os melhores de sua categoria. Cores nítidas e vivas em fotos com boa luminosidade e baixo índice de ruído em fotos noturnas são os destaques. A câmera frontal, com 3,7 megapixels de resolução, garante selfies de boa qualidade.

Bateria

Se a bateria for um item decisivo para você, é melhor tomar um pouco de cuidado. A capacidade do Galaxy Note Edge é menor que a do Galaxy Note 4 e a duração de carga também é um pouco inferior. Em nossos testes, bastaram seis horas de uso intenso, com jogos e exibição de filmes, para que a carga acabasse completamente. 

Já para uso moderado o aparelho aguenta bem durante um dia de trabalho. Para a maioria das pessoas, essa característica não será um problema. Porém, apesar da boa capacidade acreditamos que o consumo poderia ser um pouco menor. Andar com o carregador por perto não é uma má ideia.

Áudio

Simples e funcionais, os fones de ouvido que acompanham o Galaxy Note Edge vão quebrar um galho para a maioria dos consumidores. Não espere muita qualidade, afinal eles são os mesmos incluídos em outros aparelhos com preço mais acessível. A qualidade sonora do aparelho em si também é apenas regular, com um speaker mono na parte traseira.

Vale a pena?

O Galaxy Note Edge oferece praticamente a mesma coisa que o Galaxy Note 4. Os dois são ótimos phablets, mas o Edge tem uma autonomia de bateria menor e é um pouco mais desconfortável para ser manuseado. Porém, sua tela secundária pode ser considerada inovadora e prática em muitos momentos, mas a ideia ainda precisa de melhorias.

Em termos de desempenho, o modelo mostra porque é um dos top de linha da Samsung. Praticamente não há nada que o aparelho não faça bem. A tela Super AMOLED mantém a tradição da empresa sul-coreana em entregar bons displays para os seus consumidores.

Pesa contra ele o fato de que a interface TouchWiz ainda continua consumindo muita memória. Porém, nesse caso, há RAM de sobra para todas as tarefas, mesmo quando o aparelho é bastante exigido. Se você está disposto a pagar R$ 300 a mais apenas pela tela curva na lateral, sua escolha deve ser o Edge. Caso contrário, o Galaxy Note 4 entrega um desempenho levemente superior e com um custo mais acessível.

O phablet Samsung Galaxy Note Edge pode ser adquirido na loja Cissa Magazine.

Cupons de desconto TecMundo: