Apresentados durante a IFA 2014, o Galaxy Note 4 e o Galaxy Note Edge representam a visão que a Samsung têm para o futuro do segmento de phablets. Embora a maioria das novidades presentes no aparelho seja previsível (como uma tela QHD e um hardware mais potente), a empresa também decidiu apostar em ideias totalmente novas.

A principal novidade fica por conta da tela lateral vista no modelo Edge, que dá aos usuários ainda mais oportunidades de interagir com seus conteúdos. Descubra o que esperar dos novos aparelhos e quais são as principais diferenças entre os dois modelos desenvolvidos pela fabricante sul-coreana.

Enquanto o Galaxy Note 4 já tem data de lançamento confirmada para o dia 18 de outubro no Brasil, os consumidores do país vão ter que esperar um pouco mais para conferir o que o modelo Edge tem a oferecer. Devido a suas características, o produto deve ter fabricação limitada e só deve chegar oficialmente ao país em algum momento do início de 2015.

O design da nova linha Note se trata da evolução natural daquilo que a Samsung apresentou nos modelos anteriores do aparelho. O Note 4 apresenta uma ligeira redução em sua largura (7,86 cm contra os 7,92 cm anteriores), ao mesmo tempo em que aumenta de maneira sutil sua altura (15,35 cm contra os 15,2 cm da geração passada). 

Um destaque em matéria de design fica por conta da inclusão de bordas com acabamento metálico, o que garante um visual mais sofisticado ao aparelho. No entanto, não há disparidades suficientes em relação ao modelo passado para dizer que a Samsung revolucionou sua linha — ela meramente realizou aprimoramentos leves a uma fórmula de sucesso, o que resultou na manutenção do display de 5,7 polegadas.

Já o Note Edge se difere justamente pela sua característica mais marcante: o painel lateral conhecido como Revolving UX, ou simplesmente Revolux. Feito para ser manuseado com os dedos, o display apresenta até sete áreas personalizadas que atuam de forma auxiliar à tela principal do phablet — que é ligeiramente menor que a do Note 4, medindo 5,6 polegadas.

Feito para ser usado com os dedos, o painel Revolux apresenta até sete áreas personalizadas

Devido ao uso de materiais diferenciados em seus acabamentos, ambos os phablets estão ligeiramente mais pesados do que o Galaxy Note 3 — 8 gramas a mais no caso do Note 4 e 6 gramas adicionais no Edge. Além disso, o Note 4 é 0,02 cm mais espesso que seu antecessor, enquanto a versão Edge mantém a mesma medida do passado (0,83 cm).

A parte traseira dos dispositivos mantém o mesmo acabamento em couro falso presente no Galaxy Note 3, abandonando as imitações de costuras vistas no aparelho. O resultado é um produto que, embora pouco diferente nesse quesito, se mostra ainda mais confortável ao toque após uma inspeção rápida.

Em matéria de cores, o Galaxy Note 4 ganha a vantagem: ao chegar às lojas, o dispositivo deve ser encontrado nos tons “Frost White”, “Charcoal Black”, “Bronze Gold” e “Blossom Pink”. Em comparação, o Note Edge deve apostar em uma gama mais limitada de opções, se atendo às cores preta e branca.

Embora o Galaxy Note 4 mantenha as mesmas medidas vistas no modelo passado, ele se diferencia pelo uso de um painel QHD, o que garante uma densidade de pixels muito maior — 515 ppi contra os 386 ppi do passado. Nesse quesito, o Edge ganha a vantagem: sua tela ligeiramente menor apresenta a marca impressionante de 524 ppi.

A adoção do novo painel garante a exibição de imagens com uma nitidez impressionante que, graças à tecnologia Super AMOLED, exibem cores vivas e vibrantes. Vale notar, no entanto, que a densidade de pixels dos aparelhos ainda está ligeiramente atrás daquela apresentada pelo LG G3 (538 ppi), embora a diferença entre os aparelhos seja tão baixa que passa praticamente despercebida sem a realização de testes especializados.

Característica exclusiva ao modelo Edge, o painel lateral conhecido como Revolving UX — ou simplesmente Revolux — tenta mudar conceitos do que esperamos em um phablet. A superfície ligeiramente curva atua tanto como uma central de configurações personalizável quanto como uma área de comandos auxiliar.

O objetivo é permitir que você aproveite de maneira ainda mais completa o generoso display de 5,6 polegadas do aparelho. Localizada na lateral direita da tela principal, a área pode ser facilmente acionada com os dedos e reúne uma série de widgets, prévias de notificações e outras informações importantes para o usuário.

No lançamento, somente aplicativos desenvolvidos pela própria Samsung vão poder aproveitar o espaço conhecido pelo nome “Edge Screen”. No entanto, a empresa já disponibilizou o SDK necessário para desenvolvedores interessados em aproveitar o recurso, o que deve resultar no lançamento de softwares que fazem proveito total da área lateral.

Conhecida por sempre acompanhar as últimas tendências de mercado, a Samsung não decepcionou e incluiu os hardwares mais recentes em seus novos phablets. Mantendo a tradição da empresa, o Galaxy Note 4 vai apresentar dois modelos: um com o processador quad-core Snapdragon 805 e outro com o chipset octa-core Exynos 5433 — reunião de dois conjuntos de processadores quad-core que atuam com objetivos específicos de forma a poupar bateria.

Ainda que os novos dispositivos tenham mantido os mesmos 3 GB de RAM vistos no Galaxy Note 3, em todos os demais quesitos houve alguma atualização substancial. No lugar da GPU Adreno 330 entra a Adreno 420 — enquanto o modelo que opta pelo Exynos possui o processador gráfico Mali-T760 (o Note 3 correspondente adotava o Mali-T628 MP6). Já o armazenamento interno básico (32 GB) se mantém inalterado e pode ser expandido em até 128 GB com o uso de cartões micro SD.

Em matéria de hardware, o Galaxy Note Edge possui especificações idênticas ao modelo do Galaxy Note 4 baseado no Snapdragon 805. A principal diferença fica pelo fato de que o produto aparentemente deve contar com uma versão com 64 GB de memória interna — característica que a Samsung não anunciou para o Note 4.

Independente de a Samsung ter confirmado essa informação, tudo indica que o Exynos 5433 presente no Galaxy Note 4 possui uma arquitetura de 64 bits. Oficialmente, o dispositivo usa a combinação Cortex-A15/A7, mas, segundo investigações do site AnandTech, na verdade o dispositivo apresenta o par Cortex-A57/A53, tecnologia mais recente desenvolvida pela ARM.

Entre os motivos pelos quais a empresa pode estar ocultando essa informação está o fato de que, até o lançamento do Android L, não faz muito sentido investir em um produto de 64 bits. Além disso, a aposta em uma arquitetura mais avançada também deve ajudar a tornar o Note 4 mais “à prova do futuro”, evitando que seus consumidores tenham que fazer um upgrade em um tempo breve.

Embora ciente de que telas com a resolução QHD exigem uma maior quantidade de energia para operar, a Samsung não realizou mudanças drásticas na bateria de seu novo aparelho, que passou a contar com 3.220 mAh em comparação aos 3.200 mAh vistos no passado — já o modelo Edge sofreu uma redução nesse sentido, incorporando uma bateria de somente 3.000 mAh.

Novas tecnologias permitem obter 50% de recarga em somente meia hora

A principal novidade nesse sentido é o novo sistema de carregamento rápido, que em somente meia hora consegue levar a bateria do produto até 50% de sua capacidade (partindo do pressuposto que ela iniciou totalmente descarregada). Essa característica existe devido a uma combinação das tecnologias Adaptive Fast Charghing e Quick Charge 2.0 (a última delas desenvolvida peal Qualcomm), atualmente restritas a poucos aparelhos eletrônicos.

Mesmo com a presença de displays com resolução QHD, tanto o Galaxy Note 4 quanto o Galaxy Note Edge devem apresentar um tempo de uso semelhante do Galaxy Note 3. Muito disso se deve ao uso de painéis Super AMOLED com maior eficiência energética combinados a processadores de última geração que sabem utilizar a energia que têm a seu dispor de forma bastante eficiente.

Com o Galaxy Note 4 e com o Note Edge, a Samsung marca mais um passo na evolução da caneta stylus S Pen. O acessório conta com 2.048 níveis de pressão — o dobro do que foi visto no Galaxy Note 3 —, algo que, somado ao hardware mais poderoso dos novos aparelhos, resulta na possibilidade de realizar anotações e desenhos de forma bastante rápida e precisa.

O tempo de resposta pode não ser imediato (especialmente quando você move o acessório de forma rápida), mas o avanço nesse sentido é sensível quando comparamos a nova S Pen com seu modelo anterior. Para completar, a Samsung aposta novamente em seu sistema de Air Gestures para tornar o acessório uma parte indispensável de seus phablets.

Mostrando uma nova evolução em relação ao Galaxy Note 3, que possuía um sensor de 13 megapixels, tanto o Galaxy Note 4 quanto o Galaxy Note Edge apresentam uma câmera fotográfica de 16 megapixels. Além de conseguir capturar imagens com resolução maior do que no passado, a nova linha de phablets também ganhou um sistema de estabilização ótica integrado para impedir que suas fotografias saiam tremidas.

Os novos aparelhos também ganharam aprimoramentos voltados àqueles que gostam de registrar as famosas “selfies”. Com 3,7 megapixels, as câmeras frontais do Note 4 e do Note Edge conseguem capturar autorretratos com um nível de detalhes maior do que o possibilitado pelo sensor de 2 megapixels do Note 3

Apresentado junto ao Galaxy Note 4 e ao Galaxy Note Edge, o smartwatch Gear S trabalha de forma integrada com os novos phablets da fabricante sul-coreana. Embora o aparelho traga em si a ideia de funcionar de maneira individual, ele compartilha informações relevantes com os novos celulares — entre elas, mensagens de email, notificações e dados de aplicativos.

Apesar de servir como um complemento para a linha Note e para outros produtos da Samsung, o Gear S não deve ser considerado um produto que depende deles para existir. Com isso, ao mesmo tempo em que serve como um ótimo complemento para seu phablet, o produto pode ser usado de maneira bastante versátil sem que você necessariamente tenha que mantê-lo pareado.

Mesmo que a Samsung tenha apresentado somente uma quantidade limitada de acessórios para seus phablets durante sua apresentação, deve haver uma grande oferta nesse sentido quando os produtos chegarem às lojas. O Galaxy Note 4, por exemplo, vai contar com pelo menos cinco capas oficiais em seu lançamento: “S View Cover”, “Flip Walltet”, “S View Wallet”, “Led Cover” e uma proteção cravejada com cristais Swarovski.

Já em seu espaço na IFA 2014, a companhia exibiu uma série de proteções traseiras Qi que garantem a recarga sem fio de seus aparelhos, assim como stylus S Pen e proteções produzidas pela Montblanc. No entanto, os acessórios que mais chamam a atenção são os óculos de realidade virtual Gear VR e a mistura entre colar e fone de ouvido conhecida como Gear Circle.

Cupons de desconto TecMundo: