A GALAX vem surpreendendo os consumidores com placas de vídeo cada vez mais poderosas e bem desenhadas, além de preços condizentes com a realidade brasileira.

Recentemente, a fabricante lançou as placas equipadas com o chip gráfico GTX 960 e algumas cartas na manga para combater as principais concorrentes. O modelo que testamos, por exemplo, vem com overclock de fábrica e um ótimo sistema de refrigeração.

Parte da família de produtos EXOC, este modelo faz sucesso lá fora e tem tudo para ser a placa perfeita para quem pretende jogar os principais games da atualidade com alta qualidade visual. Ela vem equipada com processador Maxwell GM206 e 2 GB de memória GDDR5.

Especificações

Design caprichado

Nós já testamos várias placas da GALAX e sempre ficamos surpresos com o capricho que a marca tem no desenho dos produtos. A história não é diferente com a nova GTX 960 HOF EXOC, que apresenta uma boa combinação entre design e uso de cores.

A fabricante aproveitou carcaças semelhantes nos diferentes modelos desta série, mas optou por um sistema diferenciado no modelo que testamos, apostando em retas bem definidas que ajudam tanto no desempenho quanto na aparência.

Há também aqui vários recortes que ajudam no fluxo do ar, mantendo a placa muito bem refrigerada. A carcaça é dominada quase que completamente pelas ventoinhas de tamanho avantajado. Nas laterais dos coolers, o revestimento plástico fica sobreposto ao dissipador gigantesco.

Assim como algumas placas similares, a GTX 960 HOF EXOC também é muito inteligente, de modo que as ventoinhas permanecem desligadas quando não o chip gráfico não é muito utilizado ou em situações em que a temperatura está em nível aceitável. Quando o sistema está sobrecarregado, os coolers giram em alta velocidade, mas sem produzir muito ruído.

Visando melhores resultados na hora de rodar os games, a GALAX ainda aposta em heatpipes que providenciam a refrigeração emergencial do processador gráfico. O sistema de alimentação também fica encoberto pelo dissipador, evitando problemas de superaquecimento nesses componentes.

O backplate preto combina com a carcaça e ainda ajuda a proteger os componentes que ficam instalados na parte traseira da placa. Na parte exterior, temos duas conexões DVI, uma porta HDMI e um conector do tipos DisplayPort.

Todos esses cuidados mostram como a GALAX está trabalhando pesado para melhorar seus produtos e levar soluções mais inteligentes e robustas até o consumidor. Com excelente acabamento e visual arrojado, só temos elogios para a marca asiática.

Maxwell GM206

O chipset que integra a GeForce GTX 960 é o GM206, modelo da família Maxwell que já se provou ser eficiente tanto em processamento quanto em desempenho energético. Em termos de arquitetura, ele não tem muita diferença do GM204, que está presente na GTX 980.

Cada um dos processadores de stream (Maxwell Streaming Multiprocessors – SMM) é dividido em quatro blocos de processamento independentes, sendo que cada um deles possui 32 núcleos CUDA, o que totaliza 128 núcleos por SMM.

Cada um dos quatro blocos de processamento possui mecanismo próprio de agendamento de instruções, o que permite que os núcleos sejam aproveitados de forma inteligente pelo sistema. Isso melhora bastante a eficiência e diminui o desperdício de energia.

O sistema de cache do Maxwell também é mais eficiente que o Kepler. Agora, as unidades de processamento possuem 96 kb de memória compartilhada, enquanto as funções de cache L1 / textura são combinadas em um conjunto de 24 KB de memória por par de blocos de processamento (48 KB por SMM).

Para simplificar: o Maxwell pode apresentar até 1,4x mais desempenho por núcleo que o Kepler. Além disso, ele também consegue apresentar 2x mais desempenho por watt.

Conhecendo a GALAX GTX 960 HOF

A placa de vídeo que nós testamos é ligeiramente mais poderosa que os modelos de referência fornecidos pela NVIDIA. A GTX 960 HOF EXOC vem com frequências maiores que alguns modelos concorrentes, e isso garante ainda mais potência para os games. Ela não é a mais poderosa da GALAX, ficando um pouco abaixo da TecLab Edition, que é a top neste segmento.

Enquanto a placa de referência da NVIDIA trabalha com clocks de 1.126 a 1.178 MHz, o modelo que testamos vem com clocks que vão de 1.203 a 1.266 MHz. Olhando os números, você pode ter a impressão de que os ganhos não são tão gritantes, mas, na prática, o aumento de 7% nas frequências faz muita diferença em jogos mais exigentes.

Essa placa de vídeo trabalha com uma interface de memória de 128 bits. Pode parecer um passo atrás, principalmente porque a GTX 760 trabalhava com uma interface de 256 bits. Contudo, não podemos analisar e comparar apenas os números quando lidamos com arquiteturas diferentes.

Essa melhora na eficiência se dá por causa do novo controle de memória criado pela NVIDIA. Segundo a empresa, um novo sistema de compressão permite que a GPU trabalhe de forma mais eficiente com os dados, usando 25% menos bytes por frame que a geração anterior.

O sistema de refrigeração também é mais eficiente e silencioso, como já comentado anteriormente. No geral, uma placa que deve atender ao jogador que pretende aproveitar os games em Full HD, sem se preocupar em desativar filtros e obtendo uma qualidade visual impressionante.

DSR – Dynamic Super Resolution

A super-resolução dinâmica não é uma novidade, mas é uma característica que vale ser comentada, uma vez que aumenta significativamente a qualidade das imagens.

Para entender como isso funciona, pense em um monitor Full HD. Agora, imagine uma imagem em resolução superior à do monitor. Para preencher toda a tela, a imagem precisa ser comprimida, disfarçando possíveis imperfeições.

Isso é especialmente útil para quem pretende rodar jogos com qualidade 4K em monitores Full HD ou usar a resolução 1080p em telas com qualidade máxima de 720p. A compatibilidade é garantida pelo GeForce Experience, que configura os jogos para que você não precise se preocupar com nada. Basta selecionar o game e mudar a resolução.

MFAA

O MSAA ou Multi Sampling Anti-aliasing é o método antisserrilhados mais comum hoje em dia. Essa técnica oferece um ótimo resultado visual, mas pode pesar um pouco em resoluções mais altas — principalmente em um hardware menos potente.

Para tentar resolver um pouco essa situação, a NVIDIA está trazendo o MFAA, que pode oferecer a mesma qualidade visual do MSAA, mas não pesa tanto na hora do processamento. Para fazer isso, o sistema aplica dois tipos diferentes de AA na imagem. Em seguida, as duas são mescladas para garantir um efeito próximo ao do MSAA, mas com uma penalidade menor no desempenho.

Outros recursos NVIDIA

Essa placa de vídeo possui recursos exclusivos desenvolvidos pela NVIDIA. Entre eles está o PhysX, um sistema que realiza os cálculos de física para trazer aos jogos efeitos de física mais realistas. Tecidos, partículas de fumaça, efeitos de água e outros detalhes tentam imitar os efeitos do mundo real.

O GPU Boost é outra tecnologia que faz muita diferença. Ela pode aumentar o clock do processador gráfico em tempo real, oferecendo mais poder de fogo enquanto a temperatura máxima do chip não for atingida.

Filtros avançados como o FXAA e o TXAA também estão presentes e garantem qualidade visual aprimorada sem comprometer tanto o desempenho. Outras vantagens são as tecnologias Adaptive V-Sync, que sincroniza as imagens com a frequência da tela sempre que a placa tem poder de sobra, e G-Sync, que garante resultados impressionantes com displays mais recentes.

Testes de desempenho

Para conferir o desempenho da placa de vídeo em situações práticas, nós realizamos uma série de testes que você possivelmente faria em seu computador. As configurações de vídeo foram definidas para o nível mais elevado, incluindo filtros, mas o V-Sync foi mantido desativado.

Como a GALAX GTX 960 HOF EXOC tem apenas 2 GB de memória de vídeo, nós achamos sensato realizar apenas os testes em Full HD, já que a maioria dos games pede mais memória para a execução em resolução 4K. Os testes são divididos em duas etapas: jogos e benchmarks.

Máquina de testes

  • Sistema: Windows 8.1
  • CPU: Intel Core i7-3930K @ 3.200 MHz
  • Placa-mãe: EVGA X79 SLI
  • Memória: 16 GB RAM quad-channel G. Skill Sniper DDR3 2133
  • SSD: Samsung 840 Pro 256 GB
  • HD: 3 TB Seagate ST3000M001
  • Fonte: Corsair AX1500i

Jogos

Batman: Arkham Knight

Aproveitando a atualização recém-lançada pela Warner, nós resolvemos rodar testes de desempenho com o novo jogo da franquia Batman.

O game abusa do poder do chip gráfico, colocando o componente sob grande estresse e testando a máquina com vários filtros e efeitos. Devido à limitação de memória da placa testada, nós tivemos que rodar o game com qualidade visual reduzida.

F1 2015

Com o amadurecimento da série F1, a Codemasters conseguiu polir os gráficos do mais novo título, garantindo bom aproveitamento dos recursos de hardware e entregando visuais estonteantes com o DirectX 11.

Hitman: Absolution

Apesar de ser um jogo de 2013, Hitman: Absolution serve perfeitamente para verificações com tecnologias mais recentes, já que sua engine abusa do poder de processamento e trabalha com o DirectX 11. Os resultados são frutos do benchmark próprio do game, servindo perfeitamente para um comparativo.

Metro Last Light Redux

Metro: Last Light aproveita o poder das GPUs modernas para trazer gráficos excelentes, texturas em alta definição e muita destruição com efeitos especiais incríveis. O game é construído com a engine 4A e também é uma excelente prova de fogo para placas mais robustas.

Middle Earth: Shadow of Mordor

Um dos jogos de maior sucesso dos últmos tempos é também um ótimo título para teste de poder gráfico. Este jogo baseado na série Senhor dos Anéis conta com uma grande quantidade de elementos em cenário e pode representar um bom desafio em alguns momentos para os processadores gráficos.

Benchmarks

3DMark

O 3D Mark é um dos mais famosos programas de benchmark. Ele se destaca por trazer uma grande variedade de cenários para testes dos diferentes recursos de hardware e software da placa. Como de costume, nós rodamos o FireStrike Extreme para conferir o potencial da placa em uma situação mais desafiadora.

Unigine Valley

O Valley Benchmark mostra uma região cheia de montanhas com uma enorme quantidade de árvores em um terreno de 64 milhões de metros quadrados — verificando principalmente a capacidade da memória gráfica da placa de vídeo. Este software ainda trabalha com muitos efeitos de luz, colocando o poder da placa de vídeo à prova.

Temperatura

O trabalho de refrigeração da GALAX GTX 960 EXOC é muito eficiente, sendo perfeitamente capaz de dar conta das altas temperaturas provenientes do overclock de fábrica. O sistema desenvolvido pela GALAX nos surpreendeu, pois consegue manter o chip bem refrigerado, alcançando bons valores em Full Load (quando o chip gráfico estava sob máximo estresse).

Consumo

Durante os testes, nós realizamos algumas medições no consumo de energia com a ajuda de um dispositivo chamado Kill a Watt, que informa o consumo total da máquina, ou seja, quanto ela está “puxando” da tomada. As medições são realizadas em três momentos distintos:

  • Ocioso: máquina ligada, mas sem nenhum aplicativo em atividade;
  • Filme: filme em qualidade Full HD rodando em tela cheia;
  • 3DMark FireStrike Extreme: simula o uso normal da máquina em jogos.

Vale a pena?

A GALAX GTX 960 HOF EXOC nos impressionou nos testes, tanto pelos ótimos resultados em termos de performance quanto pela forma de trabalho silenciosa. Trata-se de um modelo ideal para os gamers que buscam alto desempenho, mas que não estão dispostos a investir rios de dinheiro em uma placa de vídeo.

É um produto que vale muito a pena, principalmente considerando a atual desvalorização do real. Em nossas pesquisas, encontramos o produto com valores próximos de R$ 1.000, o que a coloca junto com outros modelos em termos de preço, mas o desempenho aqui está um pouco acima de algumas concorrentes que trazem clocks mais baixos.

Esta GALAX se mostrou extremamente competente, fazendo muito bonito perante as concorrentes diretas. Os resultados devem ser ressaltados ainda mais pela questão do uso inteligente de energia, já que é uma placa que consome pouco e faz muito. Talvez, o único grande problema tenha sido a questão da memória RAM limitada, que acabou impedindo o aproveitamento de alguns games com qualidade ainda mais elevada.

No geral, podemos concluir que GALAX GTX 960 HOF EXOC é perfeita para aproveitar a maioria dos games em alta qualidade, com boa taxa de frames, abusando de texturas mais detalhadas em Full HD e até sendo capaz de aproveitar seu poder de processamento para rodar jogos em resoluções elevadas, como 2K.

Gostamos do ótimo trabalho que a GALAX fez nesta placa e ficamos ainda mais contentes pelo bom preço estabelecido para o mercado brasileiro. Nossos parabéns à fabricante pelo excelente trabalho!

Cupons de desconto TecMundo: