Os smartphones e tablets estão cada vez mais sendo usados na área da saúde. Por meio de aplicativos e recursos embarcados, desenvolvedores preparam apps de todos os tipos, desde os que rastreiam os batimentos cardíacos até os que lhe ajudam a manter uma vida saudável.

A tendência é que os dispositivos sejam mais utilizados para este fim. Agora, os pesquisadores da Universidade Rice criaram um periférico que pode mostrar as partes mais sensíveis e internas de um olho humano em alta resolução. O objeto foi batizado de Mobilevision.

A ideia partiu depois que a equipe envolvida no projeto fez uma pergunta a oftalmologistas sobre o que ainda falta no mercado. A resposta foi esta: "Você pode fotografar a mácula?".

Para quem não sabe, a mácula é uma área no centro da retina com alta densidade de fotorreceptores. Ela é a responsável pelo que vemos à frente e nos permite realizar as atividades cotidianas. Porém, existe uma doença que acomete pessoas com diabetes ou outros problemas chamada degeneração macular. Imagens da mácula poderiam ajudar na prevenção e tratamento disso.

No momento, é possível escanear o centro da retina. Contudo, o paciente precisa passar por um processo que envolve dilatar os olhos com drogas, algo que poderia ser feito de maneira diferente.

Como funciona

O Mobilevision permite que a pupila dilate naturalmente por causa do seu formato que "cobre a luz". Ainda, ele é rápido o suficiente — estamos falando de milissegundos — para bater algumas fotos boas durante o curto período dos pulsos de iluminação antes de a pupila se contrair novamente. 

Segundo os desenvolvedores, uma das coisas mais interessantes do gadget é a possibilidade de o próprio paciente bater as fotos. A máquina ainda é fácil de usar: basta encostar o olho e tocar na área indicada no smartphone ou tablet.

No vídeo acima, você pode entender em mais detalhes como o Mobilevision funciona. Infelizmente, não há informações sobre a comercialização do gadget.

Cupons de desconto TecMundo: