Fonte da imagem: Scott Liddell

Pesquisadores da Universidade do Texas, em Dallas, desenvolveram uma nova técnica que possibilita a criação de fios de nanotubos de carbono condutores de eletricidade. O objetivo do projeto é o desenvolvimento de tecidos leves capazes de funcionar como baterias móveis – ou seja, em vez de precisar de uma tomada, bastaria conectar dispositivos à sua roupa para recarregá-los.

O segredo da técnica está na utilização de partículas de elementos supercondutores como bório e magnésio pulverizadas dentro dos nanotubos. A principal dificuldade de trabalhar com tais materiais está no fato de que eles precisam de que é difícil trabalhar com eles em formato de pó, exigindo uma forma que lhes dê forma.

A solução encontrada foi montar uma verdadeira rede de nanotubos, que em seguida são pulverizados pelo pó que mistura bório e magnésio. O resultado do processo é um material condutor tão fino quanto um fio de algodão, maleável o suficiente para poder ser tricotado na forma de uma roupa convencional.

Além de mais resistente, o resultado final é menos dispendioso que o processo de criação de fios supercondutores convencionais. Nele, os pós são colocados em fios de cobre que em seguida são aquecidos dezenas de vezes e esticados até o comprimento ideal. Já no novo método, só é necessário aquecer os fios uma única vez para temperar os pós e criar uma malha supercondutora.

Recarregue dispositivos utilizando roupas

Além de baratear o custo de produção de fios supercondutores (aumentando sua durabilidade), a nova tecnologia pode ser empregado no futuro para a criação de roupas capazes de recarregar aparelhos portáteis. Ou seja, em vez de carregar baterias extras ou procurar uma tomada, bastaria conectar os dispositivos à camisetas ou calças para voltar a utilizá-los imediatamente.

Segundo Ray Baughman, diretor do Instituto de Nanotecnologia Alan G. MacDiarmid, localizado dentro da universidade, o pó condutor fica preso dentro do tecido e é responsável por cerca de 95% do peso total do material final. Completa dizendo que lavagens não são nenhum problema, já que dificilmente há vazamentos do pó durante o processo.