(Fonte da imagem: Reprodução/TheGuardian)

O Diretor de Desenvolvimento de Negócios da Qualcomm, Dário Dal Piaz, demonstrou no Forum Mobile Apps nesta quarta-feira (21/08) em São Paulo alguns dos mais promissores projetos da fabricante com vista na modernização e ampliação de negócios no mercado mobile.

O investimento pesado é feito de olho no futuro promissor de dispositivos móveis no mercado de tecnologia. Para Dal Piaz, os apps mobile são parte essencial para o próximo ciclo econômico do planeta, já que, mesmo sendo um mercado emergente, com menos de cinco anos, conta com um constante crescimento.

O novo comportamento do consumidor

Não há duvidas de que o mercado mobile está redefinindo o comportamento do usuário, e algumas pesquisas fortalecem a observação. Dados do Ibope em levantamentos encomendados pela Qualcomm no Brasil demonstram que cerca de 30% dos usuários de smartphone costumam checar seus gadgets em um intervalo máximo de cinco minutos. Além disso, 2/3 da população dormem com o smartphone ao lado.

(Fonte da imagem: Reprodução/mobilenewspedia)

A expectativa é de que nos próximos anos mais de 7 bilhões de aparelhos móveis estejam em funcionamento em todo o mundo e, ao mesmo tempo, serão mais de 24 bilhões de equipamentos conectados em redes 3G e 4G, incluindo periféricos, acessórios, eletrodomésticos, entre outros. Isso tudo deve ajudar a redefinir a relação usuário-máquina, criando uma rede tecnológica gigantesca.

Tal fato se deve à evolução de processadores e equipamentos em geral, que faz com que tudo o que antes era encontrado em computadores e notebooks hoje possa estar concentrado em um aparelho que cabe na palma da mão. Com menos espaço, menos consumo de energia e mais velocidade, é possível fazer o mesmo que em um computador de anos atrás.

Segundo Dal Piaz, para comportar tantos gadgets e equipamentos conectados, será necessário que a rede mundial tenha uma ampliação gigantesca, suportando mais de mil vezes a quantidade de dados atual.