(Fonte da imagem: iStock)

Andar de carro, lançar foguetes ou cortar a grama. Todas essas atividades exigem algum tipo de combustível. As pesquisas no ramo de adustíveis estão cada vez mais avançadas, e a cada dia surgem novos elementos que podem ser utilizados na produção de energia para a movimentação de veículos. Depois do biocombustível, a novidade agora é o ar líquido.

O engenheiro britânico Peter Dearman desenvolveu um processo que permite utilizar o ar em estado líquido como combustível. No processo, aplicado pela empresa Highview Power Storage, Dearman armazena o ar a uma temperatura congelante de 190°C negativos para que o gás fique em seu estado líquido.

(Fonte da imagem: iStock)

Quando for preciso utilizar o combustível, o ar é então liberado e aquecido (a própria temperatura do ambiente realiza a segunda etapa). O resultado desse processo (gás pressurizado) pode ser utilizado em uma turbina, que movimenta um gerador que, por sua vez, produz energia elétrica.

Projeto de longo prazo

Peter Dearman está trabalhando em seu projeto de ar líquido há quase 40 anos. Utilizando o motor de um cortador de grama modificado, o engenheiro conseguiu atingir a velocidade de 56 quilômetros por hora com seu carro movido a ar líquido.

Embora não pareça ser uma velocidade muito boa para um carro, Dearman afirmou que, se aperfeiçoada, sua ideia pode ser muito mais eficiente. A empresa Highview Power Storage já está trabalhando na metodologia desenvolvida pelo engenheiro, mas não há qualquer previsão de quando o projeto chegará ao mercado.