(Fonte da imagem: Reprodução/ Warner Bros e Columbia Pictures)

Por mais que o tema fique muito mais no reino da ficção do que no da realidade, robôs atacando a humanidade e dominando o planeta é algo que muita gente ainda teme. Agora, sabemos que algumas dessas pessoas estão no comando do Centro para o Estudo do Risco Existencial.

A Universidade de Cambridge, no Reino Unido, criou um centro de pesquisas para avaliar a possibilidade de ameaças tecnológicas à humanidade. O Centro para o Estudo do Risco Existencial foi criado pelo filósofto Huw Price, o astrofísico Martin Rees e o cofundador do Skype, Jaan Tallinn.

Realizando uma pesquisa sobre o avanço da robótica, o trio chegou a uma conclusão preocupante. Para os estudiosos, a evolução da inteligência artificial se encontra em um ritmo que pode ultrapassar o controle de humanos.

Fazendo projeções para o futuro, foi possível constatar que, em algum tempo, máquinas terão uma inteligência muito superior à de humanos. Isso poderia resultar em robôs que criem consciência e se recusem a atender aos comandos dos seres humanos.

Um futuro em que a ficção se torna realidade

Vale lembrar que as alegações do Centro para o Estudo do Risco Existencial não significam muita coisa na atualidade, já que não vemos robôs criando consciência por aí. Mesmo assim, não deixa de ser um aviso de alguém fora do mundo da ficção científica sobre uma possível revolta das máquinas.

Será que teremos Exterminadores, Sentinelas, replicantes, e todo o tipo de vilão autômato que o cinema e a literatura já criou, vagando pelo mundo em um futuro próximo?