(Fonte da imagem: Reprodução/Wired)

Imagine um mundo em que será possível criar qualquer objeto sem sair de casa. Um futuro em que você não vai mais precisar comprar produtos, mas apenas pagar pelo download de itens que serão fabricados na sua própria casa. Ao contrário do que possa parecer, com o avanço da tecnologia de impressões 3D isso não está tão distante de acontecer e, além da criação de objetos comuns, a impressão de objetos promete revolucionar também a indústria de brinquedos.

Quando era pequeno, você provavelmente deve ter transformado objetos simples em criações que, para você, pareciam incríveis. Criar um carrinho com caixas de papelão, rolinhos de papel sendo transformados em binóculos e por aí vai. Mesmo com brinquedos prontos, criar a própria brincadeira parece ser ainda mais divertido para os pequeninos, mas você já se perguntou como será a vida das crianças nas próximas décadas?

A popularização de sistemas de impressão de objetos está cada vez maior e já não é tão impossível ter uma impressora 3D em casa. Com o avanço da tecnologia, é muito provável que, em poucos anos, as crianças inventem brinquedos sem sair do quarto ou comprem seus bonecos e imprimam em pouco tempo para começar brincadeiras totalmente novas.

Crie os brinquedos que você quiser

Existem diversos modelos de impressoras 3D, mas de uma maneira geral todas elas utilizam o mesmo sistema de arquivos para a criação de objetos (CAD). Com isso, é possível inventar o objeto que você imaginar ou fazer mudanças em criações de outras pessoas. Sites como o Thingiverse reúnem centenas de criações para serem usadas por qualquer pessoa, algumas opções gratuitas e outras pagas.

(Fonte da imagem: Reprodução/Mineways)

Não existem limites para a criação de objetos 3D: tudo o que você imaginar pode virar realidade. Bonecos, peças de xadrez, dados, quebra-cabeças etc. Mas criar brinquedos do zero pode não ser o único tipo de diversão para as crianças em algumas décadas.

Uma prova disso é o Mineways: o software transforma qualquer coisa criada dentro do Minecraft em um modelo 3D real. Qualquer objeto imaginado dentro do jogo pode ser transformado em um brinquedo ou, simplesmente, um objeto de decoração. Até mesmo as paisagens do game podem ser criadas em poucas horas, já que a base de tudo no jogo é a união de simples blocos.

(Fonte da imagem: Reprodução/Disney)

Outra ideia que chama a atenção é um projeto temporário da Disney que está usando a tecnologia de impressão 3D para criar bonecas personalizadas das crianças que visitam os parques de Orlando. O D-Tech Me Princess usa um processo de escaneamento facial que dura cerca de 10 minutos e, em seguida, cria a modelagem 3D que pode ser aplicada ao corpo de uma personagem à escolha da criança.

A boneca é enviada posteriormente, depois de cinco ou seis semanas, para o endereço cadastrado. Para participar da experiência é preciso ter entre 3 e 12 anos de idade e o serviço custa US$ 99 mais taxas de envio (a partir de US$ 15 para os Estados Unidos e US$ 75 para envio internacional). Embora o preço ainda seja alto, é possível imaginar que, com a popularização do sistema, estes valores caiam em projetos semelhantes no futuro.

Projetos prontos para serem impressos

Além de criar seus brinquedos do zero, a equipe da MakerBot já conta com alguns kits prontos para quem quer produzir objetos mais avançados em casa. Um dos projetos da empresa é a criação de um player de MP3 em formato de fita cassete: você pode comprar o kit com a parte eletrônica e a embalagem para depois construir o produto com as cores que quiser e o formato que preferir em sua própria impressora 3D.

Além disso, a empresa disponibiliza outros itens que podem ser usados pelos pequeninos para melhorar brinquedos como a imaginação permitir. Os pés de robôs são um bom exemplo: com eles, você pode equipar qualquer boneco feito na impressora 3D e dar corda para que eles andem de um lado para o outro.

Com isso, mais uma vez, você só precisa comprar a matéria-prima para fazer os bonequinhos e a parte mecânica já está pronta: é só montar e sair se divertindo. Além de usar a criatividade para criar seus próprios brinquedos, o equipamento permite a mudança frequente dos objetos com o reaproveitamento do mecanismo principal.

Ao enjoar de alguma brincadeira específica, a criança pode simplesmente recomeçar o projeto dando um novo tema para aquele objeto ao reutilizar as peças centrais do brinquedo. Um robô, por exemplo, pode ser transformado em um monstro ou personagem de desenho com a impressão de uma nova carcaça.

Uma impressora 3D para chamar de minha

Atualmente já é possível comprar impressoras 3D pagando pouco menos de US$ 2 mil. Com taxas de importação, seria possível comprar o equipamento no exterior e trazer para o Brasil por um valor próximo aos R$ 5 mil.

Obviamente, o preço ainda não é tão acessível, mas para um equipamento que, até pouco tempo atrás, era vendido por aproximadamente  R$ 60 mil, os valores atuais não assustam tanto assim. A matéria-prima para a produção de impressões 3D também conta com preços muito mais fáceis de serem encarados: os valores variam conforme as cores, mas é possível comprar 1 kg de plástico por US$ 43 (incolor) e US$ 48 (colorido).

Aqui no Brasil, a Metamáquina é pioneira no mercado de impressoras 3D, colocando à venda kits de impressoras desmontadas ou montadas, testadas e calibradas. Atualmente os kits estão esgotados, mas no site oficial da empresa é possível preencher um formulário de interesse de compra. Os preços da Metamáquina são mais camaradas: a impressora pronta é vendida por R$ 3.700, enquanto o kit para montagem sai por R$ 2.900.

(Fonte da imagem: Reprodução/Roland)

A promessa de modelos compactos como o iModela, da Roland, também deve popularizar o sistema e derrubar os preços de equipamentos de impressão 3D. Embora o equipamento não tenha data certa para o lançamento, nem mesmo valores iniciais, a proposta do iModela seria exatamente de criar pequenos brinquedos, o que faz com que seja possível imaginar um produto de custo mais baixo.

A máquina acompanha o iModela Creator, que é um software específico para facilitar a criação de bonecos e chaveiros, além de peças e acessórios complementares para brinquedos já existentes. A impressora funciona em qualquer computador que rode Windows e conte com saídas USB.

Segundo um artigo da Wired sobre a evolução das impressoras 3D, em pouco tempo as impressoras devem sair da bolha dos early adopters para ganhar a grande massa. A projeção é de que, nos próximos anos, gigantes como HP e Epson passem a comercializar impressoras 3D em centros comerciais, já longe das lojas especializadas. Com isso, em pouco tempo, as impressoras podem passar a ter custos próximos aos valores de impressoras 2D, sendo vendidas a partir de US$ 99.

Fontes: Wired, Roland, Thingiverse, MakerBot, Metamáquina, RolandDisney