O cinema sempre foi uma das maiores fontes de inspiração para tecnologias futuristas, mostrando os gadgets e técnicas que poderiam ajudar o ser humano nos tempos que estão por vir. Assim como já mostramos nessa matéria do Tecmundo, muitas delas já se tornaram realidade e nem percebemos, mas existem várias outras que ainda não fazem parte do nosso cotidiano.

Então, o Tecmundo preparou este artigo que deixa você por dentro de cinco novas tecnologias que ainda existem apenas na ficção do cinema, mas que podem ser materializadas fora da telona em um futuro próximo. Confira!

Mensagens holográficas

(Fonte da imagem: Divulgação Lucas Film)

A saga de Guerra nas Estrelas (“Star Wars”) idealizada por George Lucas é um dos principais repositórios de ideias geeks para o futuro, indo desde sabres de luz até naves espaciais do tamanho de uma lua. Quem já viu os filmes deve lembrar que os personagens frequentemente usavam comunicadores que projetam uma imagem holográfica tridimensional bem na sua frente.

(Fonte da imagem: Reprodução Vocaloid)

Hoje, pesquisas de várias empresas e até uma artista virtual que canta para o público no Japão mostram que a holografia não é algo tão distante assim. Já na área dos portáteis, celulares com tela 3D e até o console Nintendo 3DS, que projeta imagens tridimensionais sem a necessidade de óculos, dão a ideia de que é só uma questão de tempo até que você possa se comunicar com seus amigos da mesma forma que os heróis de Guerra nas Estrelas faziam.

Robôs humanoides

São incontáveis os filmes que já fizeram referência a máquinas bípedes que andam e até se comportam como os humanos, ajudando as pessoas nas mais diversas tarefas. Existem até as obras inspiradas totalmente nestas máquinas, como é o caso de “Blade Runner”, “Eu, Robô” e “Inteligência Artificial”.

(Fonte da imagem: Divulgação Twentieth Century Fox)

Embora ainda estejamos distantes de ter assistentes mecânicos com o mesmo nível intelectual das pessoas, vários avanços na área da mecânica e locomoção já foram alcançados, como é o caso dos robôs bípedes apresentados no Tecmundo – alguns com a promessa de até ganhar do homem quando o assunto é correr sobre duas (ou mais) pernas.

Voo pessoal

Voar como os pássaros tem sido um sonho da humanidade desde que ela existe. O advento do avião nos deu a capacidade de cobrir grandes distâncias em pouco tempo pelo ar, mas o sentimento de realização ainda não está completo, já que precisamos ficar dentro da aeronave. Filmes como “Rocketeer” mostram que basta um par de foguetes montado nas costas para você se tornar um super-herói, ou pelo menos se sentir como um.

(Fonte da imagem: Divulgação Martin Jetpack)

Este conceito já saiu do cinema para ser tornar realidade. Hoje, qualquer um que esteja disposto a gastar US$ 100 mil pode realizar o sonho de voar como um pássaro. A empresa Martin Aircraft já tem o par de turbinas para voos pessoais à venda para propósitos civis, com direito até a um comercial publicitário mostrando a utilidade da máquina.

Megametrópoles

Se tudo acontecer como nos filmes “O Juíz” e “Akira”, as grandes cidades do futuro vão acabar se juntando umas às outras para se tornar centros urbanos gigantescos, ou megametrópoles.

(Fonte da imagem: Divulgação Twentieth Century Fox)

Em ambientes como este, haveria sistemas avançados de transporte, energia e distribuição de alimentos para suprir a necessidade da população de dezenas de milhões de pessoas. A China já possui planos de construir algo parecido com as megametrópoles do cinema, unindo nove das maiores cidades do país em apenas uma mancha urbana.

(Fonte da imagem: Divulgação Daily Mail)

Os chineses estimam que o projeto vai durar seis anos, unindo as metrópoles de Shenzhen, Guangzhou e outras seis grandes cidades ao longo do delta do Rio Pérola. Mais de 150 grandes projetos de infraestrutura já estão em execução para unir os sistemas de transporte, energia e telecomunicações da região. Depois de completa, a megametrópole chinesa vai manter mais de 40 milhões de habitantes em uma área que é 26 vezes maior que a de Londres.

Replicadores de alimentos

Fãs da saga de Jornada nas Estrelas (“Star Trek”) devem lembrar que um máquina na área de descanso da nave U.S.S Enterprise podia criar qualquer tipo de alimento que os tripulantes quisessem. O mesmo conceito foi levado ainda mais longe no filme “O Guia do Mochileiro das Galáxias”, em que uma engenhoca podia materializar qualquer prato que a pessoa imaginasse.

(Fonte da imagem: Divulgação Cornell Creative Machines Lab)

Em teoria, esse tipo de máquina usaria a manipulação da estrutura molecular para criar os alimentos com a forma, gosto e composição desejada. Na prática, a parte do gosto e da composição ainda é um sonho distante, mas pelo menos a forma já pode ser escolhida e reproduzida em uma impressora de comida.

Assim como já mostramos anteriormente, a empresa Cornell Creative Machines Lab está desenvolvendo uma impressora 3D capaz de criar alimentos com a forma desejada. Por meio da máquina, já foi criado macarrão com formato de naves espaciais, usando vários cartuchos carregados com os ingredientes em forma semilíquida.