Alguns filmes têm a audaciosa capacidade de adivinhar o futuro em suas ambientações futuristas ou propostas que mostrem como estará o mundo daqui X ou Y anos. “De Volta Para o Futuro” e “Minority Report” são alguns deles, entre tantos outros. Aliás, este último filme, dirigido pelo veterano Steven Spielberg, trouxe aqueles sensacionais hologramas interativos para o ator Tom Cruise brincar com as mãos e os gestos. Pois é: eles podem se tornar realidade na casa de qualquer um.

E a concepção vem das mãos de um especialista da indústria: o fundador e CEO da Oblong Industries, John Underkoffler, que atua no segmento há décadas e é um das líderes em soluções para ambientes corporativos. O executivo está usando sua expertise – que recentemente lhe rendeu um prêmio de design nos EUA, o “National Design Award” – para remodelar a forma como interagimos num espaço de trabalho na era em que estamos, isto é, a digital. Senhoras e senhores, conheçam o Mezzanine.

Mezzanine: aquela coisa sensacional que você viu em “Minority Report”

O cobiçado “Mezzanine”, nome possivelmente provisório, seria um computador interativo similar àquele visto no filme de Spielberg, ou seja, uma parafernália que combina gestos feitos com as mãos e uma leitura do ambiente para que, assim, a experiência funcione de maneira intuitiva e imersiva com ampla fluidez.

John Underkoffler já realizou vários testes em cima do conceito do Mezzanine

“Imaginar um ambiente como esse [apenas] no trabalho me faz querer chorar. Se você trabalha o dia todo nesse ambiente, jogando ideias para lá e para cá, trazendo aplicações e fontes de dados e conectando tudo isso com pessoas [através de gestos] em grandes distâncias, aí você tem de voltar para casa e se deparar com seu display extremamente burro... É muito frustrante”, afirmou o CEO.

“Portanto, não há qualquer razão para você não ter isso daqui dois, três, cinco anos na sua casa. Vamos trazer para você”, adiantou John, desenhando um futuro já esboçado em “Minority Report” e tantos outros filmes, mas sem detalhar exatamente como fará isso nas residências de meros mortais como nós. Aguardemos.

Você acha que os hologramas podem dominar o futuro? Comente no Fórum do TecMundo