Ampliar (Fonte da imagem: Design Boom)

O time formado pelos designers Jun-se Kim, Yonggu Do e Eunha Seo desenvolveu o conceito de um tablet futurista que dispensa qualquer fonte de alimentação convencional. Em vez de usar a energia de baterias normais, o dispositivo usa sua própria interface de toque como uma forma de garantir a eletricidade necessária para operar.

Para tanto, logo abaixo da tela do aparelho, há uma camada de filme piezoelétrico em escala nanométrica, que usa a pressão exercida pelo usuário como forma de tornar possíveis as operações desejadas. A pieozeletricidade é a capacidade que alguns cristais têm de gerar correntes elétricas em resposta a algum tipo de pressão mecânica – entre os aparelhos que se aproveitam dessa propriedade estão medidores de pressão, isqueiros elétricos e agulhas de toca-discos.

O tablet conceitual foi uma das sete invenções a receber o prêmio especial dos juízes no concurso “A Life with Future Computing” (Uma vida com a computação do futuro, em uma tradução livre), promovido pela Fujitsu em parceria com o site Design Boom e Design Association Japan. Apesar de poder representar uma grande economia de recursos naturais, não há previsão de que um produto com tecnologia semelhante seja produzido em um futuro próximo.