Animação que mostra como vai funcionar o sistema HawkEye. (Fonte da imagem: Reprodução/FIFA.com)

O secretário-geral da FIFA Jérôme Valcke se mostrou bastante empolgado com o uso da tecnologia para acabar com algumas polêmicas no futebol. Em suas palavras, o novo método que ajuda a identificar se uma bola passou ou não por completo da linha do gol “é uma espécie de revolução”.

Ele estreia na próxima quinta-feira durante a partida entre Sanfrecce Hiroshima, do Japão, e Auckland City, da Nova Zelândia, pelo Mundial de Clubes da FIFA. Um dos exemplos utilizados por Valcke para justificar a aposta no uso de tecnologia no futebol é um caso emblemático da disputa entre Alemanha e Inglaterra pela Copa do Mundo de 2010, realizada na África do Sul.

No jogo, a Inglaterra não teve um gol legítimo validado, quando a bola quicou no chão dentro do gol após ter batido no travessão. “Todos assistimos ao jogo entre Inglaterra e Alemanha na África do Sul em 2010. Com aquilo, reabrimos as discussões sobre um sistema que pudéssemos usar para ajudar o árbitro”, afirmou.

Duas tecnologias para acabar com as dúvidas

A FIFA vai testar duas tecnologias diferentes ao longo do seu torneio oficial de clubes. Uma delas, usada já na partida inaugural da competição, é a GoalRef, na qual dez sensores são instalados nas traves e avisam o árbitro no caso de a bola ultrapassar por completo a linha do gol.

O outro método, chamado de HawkEye, é o mesmo usado em jogos de tênis profissionais e conta com um sensor na bola e várias câmeras de alta velocidade sempre focadas nas traves. Quando necessário, ele recria as ações capturadas em uma animação 3D da bola, mostrando se ela entrou ou não.