O que faz um rosto ou uma imagem serem memoráveis? O que torna quase inesquecível aquilo que enxergamos e faz com que nosso cérebro coloque aquela lembrança em um lugar especial, para praticamente nunca mais sair de lá? Por que é tão difícil nos lembrarmos do rosto de certas pessoas ou de coisas que vimos há apenas algumas horas, enquanto temos imagens vívidas de algo que vimos há anos?

São as respostas para essas perguntas que um grupo de cientistas do Laboratório de Inteligência Artificial do MIT (Massachusetts Institute of Technology) estão usando para criar o MemNet, um algoritmo capaz de “prever” o quanto certas imagens são “memoráveis” ou inesquecíveis para o cérebro humano.

Um padrão cerebral

Aditya Khosla, chefe da equipe responsável pelo desenvolvimento do MemNet, contou que “em média, as pessoas tendem a se lembrar e esquecer do mesmo tipo de imagem. Apesar de todos nós termos passados e experiências diferentes, de alguma maneira nossos cérebros funcionam de um jeito que nos faz lembrar de um mesmo conjunto de imagens”.

O sistema funciona com a definição de uma nota entre 0 e 1 para as imagens, onde 0 representa uma visão completamente “esquecível” e 1, aquilo que nosso cérebro nunca vai se esquecer. Assim, um experimento foi feito com 5 mil pessoas online e um conjunto de imagens. Os participantes deveriam pressionar um botão sempre que vissem algo que fosse familiar para eles. As respostas serviram como parâmetro para a definição dessa nota, um fator de “memorabilidade”.

Reconhecendo o inesquecível

Com base em todas essas informações – que incluíam as fotos do experimento e suas notas –, o MemNet foi capaz de fazer previsões praticamente tão precisas quanto as pessoas sobre o quanto cada imagem é “inesquecível”. O resultado desse algoritmo foi 30% melhor do que qualquer outro software.

Uma das diferenças principais desse método de reconhecimento é que ele cria um “mapa de calor” da imagem analisada mostrando as regiões dela que têm mais probabilidade de serem lembradas e as que chamam menos atenção do nosso cérebro. Essas informações podem ser cruciais para, por exemplo, imagens de publicidade, sendo possível prever o que nela realmente vai “grudar” na cabeça de quem a vê.

O processo também funciona com rostos de pessoas, e através dele é possível determinar o que pode ser alterado em um rosto – sem mudar a aparência geral da pessoa – para que ele se torne mais atraente e, claro, inesquecível.

O site do projeto nos permite analisar qualquer imagem para sabermos o quanto elas são inesquecíveis; basta fazermos o upload do arquivo ou inserir o URL da foto. Clique aqui para acessar a página.

Algoritmo é capaz de reconhecer o quão “memorável” pode ser uma imagem. Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: