Mesmo que não seja um especialista, você consegue identificar facilmente uma câmera fotográfica — mas são poucas as pessoas que adivinhariam que a mórbida e assustadora peça "Third Eye" também serve para capturar imagens. De acordo com o site Inhabitat, o criador dessa escultura tão peculiar é o artista Wayne Martin Belger, que juntou metal, pedras preciosas e um crânio para criar uma câmera única.

O equipamento funciona de verdade, mas não tem lente, bateria, flash, tela sensível ao toque ou comandos de zoom e edição de imagens. Trata-se de uma câmera pinhole, em que a imagem é projetada (ou impressa em um filme) a partir da entrada da luz em um pequeno furo no equipamento.

O artista diz que prefere essa tecnologia rudimentar por ela ser capaz de capturar a representação real de luz e período. A câmera em forma de crânio foi feita especialmente para fotografar cemitérios e novos objetos esquisitos e específicos devem ser feitos pelo autor.

O crânio pertenceu a uma menina de 13 anos e viveu altas aventuras antes de se tornar uma câmera. Ele era parte do kit de estudo de um estudante de medicina em 1900 e juntou poeira por quase cem anos em um sótão na Inglaterra até cair nas mãos de Belger. O fotógrafo afirma que tem respeito pelos restos mortais do ser humano e, após passar muito tempo entre a cultura oriental, notou que tibetanos transformam ossos em obras de arte e até instrumentos musicais a partir de uma antiga tradição.

Cupons de desconto TecMundo: