(Fonte da imagem: A perceptual metric for photo retouching/PNAS)

Pesquisadores do Dartmouth College, uma das universidades mais antigas dos EUA, desenvolveram uma fórmula matemática para identificar fotografias que tiveram algum tipo de modificação digital.

O professor Farid Hany e o doutorando Eric Kee utilizaram 450 fotos originais e manipuladas para elaborar oito parâmetros fotométricos e geométricos comuns entre as imagens. Posteriormente, os cientistas realizaram um estudo que envolveu 350 pessoas, as quais analisaram as mesmas fotos e as classificaram por meio de uma escala entre 1 e 5 – sendo que o menor número representa a nota máxima de similaridade entre as ilustrações originais e as retocadas.

A partir desses dados, a dupla de pesquisadores combinou todos os parâmetros levantados para cada par de fotografias, permitindo a criação da fórmula que apresenta uma média para a identificação daquelas figuras que haviam sofrido alterações.

(Fonte da imagem: A perceptual metric for photo retouching/PNAS)

Segundo o estudo, publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences, empresas de publicidade e editores de revistas têm sido criticados pelos retoques exagerados nas fotos veiculadas, criando um padrão de beleza dificilmente alcançado pelas pessoas. Com isso, a quantidade de distúrbios alimentares e de insatisfação com a imagem corporal tem aumentado consideravelmente entre mulheres, homens e até crianças.

Nesse contexto, a fórmula desenvolvida pode servir como ferramenta de apoio nas iniciativas de legislação para a rotulagem de fotografias manipuladas, ou seja, as ilustrações editadas precisariam ter uma notificação alertando sobre esse fato. Para acessar a pesquisa na íntegra (em inglês), clique aqui para carregar o arquivo em PDF.

Cupons de desconto TecMundo: