Não é preciso ser fotógrafo profissional para saber que fotos com melhor qualidade são registradas em ambientes com uma boa luz. É por isso que muitas imagens capturadas em locais com baixa luminosidade, principalmente à noite, nem sempre saem perfeitas, e usar um flash estourado pode comprometer a visualização do conteúdo que está sendo registrado.

Mas fazer fotos noturnas não é um bicho de sete cabeças. Com as ferramentas certas e algumas dicas, fotografar sem muita luz pode ser uma experiência divertida ao criar belas imagens, mesmo sem a ajuda de equipamentos caríssimos. Veja abaixo algumas sugestões.

1. Ajuste as configurações da sua câmera

As câmeras digitais, sejam elas básicas ou avançadas, possuem mais de um modo de fotografia, inclusive um próprio para fotos noturnas. Acontece que não é necessário ativar esse recurso caso você queira fazer suas fotos à noite e, muitas vezes, essa opção falha em entregar figuras com qualidade. Aqui, você precisa se atentar a três elementos: ISO, tempo de exposição (velocidade do obturador) e abertura. Câmeras de diferentes fabricantes possuem recursos distintos de como ativar essas funções; então consulte o manual de instruções do seu aparelho.

O ISO diz o quão sensível é a lente fotográfica da sua câmera com relação à luz, o que significa que, quanto maior for o ISO, maior será sua exposição à luz. Logo, a dica é sempre deixar o valor do ISO no menor número possível — isso pode parecer sem sentido, mas a questão é que elevar o ISO pode causar um efeito estourado de luz, dando aquele aspecto de granulado por toda a imagem. Com o ISO menor, é possível obter registros mais nítidos de todos os pontos.

A exposição (velocidade do obturador) indica quanto tempo o obturador da câmera ficará aberto, permitindo que a luz entre pelo sensor de imagem. A medida 1:15, por exemplo, corresponde a 1/15 de segundo até que a luz seja coletada pelo sensor; 1:4 é 1/4 de segundo, e assim por diante. Aqui, é recomendável usar o método de longa exposição e aumentar o tempo de obturação, já que fotos noturnas requerem um tempo mínimo para que a câmera registre uma quantidade de luz natural para finalmente completar a captura.

A abertura, por sua vez, engloba um conjunto de configurações que permitem que diferentes quantidades de luz entrem pela lente da câmera. Essa função é retratada pelo ícone "f" mais um número de referência (por exemplo: f/1.8 ou f/22) e é muito importante porque define como será a profundidade de campo daquilo que você deseja fotografar. Quanto maior for o valor da abertura, menor será a abertura (passando menos luz) e maior será a profundidade de campo  e vice-versa.

2. Habilite o modo manual (ou personalizado)

Como você precisa ter um controle completo sobre os itens citados no tópico anterior, nada melhor do que operar isso tudo manualmente na sua câmera. O motivo é óbvio: tudo vai depender do local onde você está e do objeto a ser fotografado, e é bem possível que você tenha que fazer ajustes em quase todos os cliques do obturador conforme a luz ambiente seja alterada. Nem adianta tentar usar o modo automático ou outras configurações predefinidas, uma vez que as leituras internas do sensor fotográfico não funcionam no escuro.

3. Se possível, utilize um tripé e controle remoto

Mesmo configurando sua câmera com as dicas acima, um dos fatores essenciais para fazer fotos mais nítidas à noite é deixar o aparelho o mais estável possível. Claro, você pode fazer seus registros segurando a câmera nas mãos; porém, mesmo a segurando com força, são grandes as chances de a imagem sair tremida ou com "ruídos" por falta de mais estabilidade.

Lembra-se do primeiro tópico, quando falamos da necessidade de manter o obturador em uma velocidade menor para que a câmera consiga captar uma quantidade de luz maior através do sensor? Isso é alcançado mais facilmente se a câmera estiver completamente parada no momento do registro. E é aí que entra o tripé, ou qualquer outro periférico ou superfície que mantenha o aparelho estável, sem se mexer. Além de aumentar o tempo de abertura do obturador, essa prática evita que suas fotos saiam borradas.

Outra sugestão aliada ao uso do tripé são os controles remotos. Mesmo com a câmera posicionada em um suporte, só sua ação de pressionar o botão do obturador movimenta a câmera fotográfica, o que pode comprometer a captação da imagem. Por isso, utilizar um controle remoto pode ser uma alternativa a esse problema. Se não tiver o acessório, você pode deixar sua câmera posicionada e configurar o temporizador entre 5 a 10 segundos, tempo suficiente para se afastar do aparelho e deixá-lo registrar a foto.

4. Planeje-se com antecedência

Ok, você já separou seu equipamento, verificou as configurações da sua câmera e fez testes em locais fechados e com pouca luminosidade. Contudo, antes de ir para ambientes mais abertos, faça uma checagem dos itens que você vai levar, independentemente se forem aparelhos profissionais ou não.

Também se certifique das condições climáticas do período em que você estiver fora de casa, já que a natureza precisa colaborar para que você faça boas fotos noturnas, que, por sua vez, exigem céu limpo e sem chuva. É sempre bom evitar imprevistos, então tenha certeza de que encontrará um tempo favorável ao seu objetivo.

Cupons de desconto TecMundo: