Estava até demorando para acontecer. O artista Raphael Fabre enganou as autoridades francesas ao conseguir um cartão de identificação a partir de uma imagem sua totalmente feita pelo computador. Para garantir que o resultado fosse o mais artificial possível, ele usou software 3D ao invés de digitalização por scanner.

"Inicialmente eu ia usar scanner 3D mas eu queria que a foto fosse composta a partir do máximo de softwares possível. Então, comecei com um cubo básico no (aplicativo) Blender, que foi como eu modifiquei e esculpi para se parecer com uma cabeça humana. O modelo foi então reesculpido de forma mais precisa em outro software", conta o autor da peripécia, ao Gizmodo.

"Eu ainda precisava da textura de minhas próprias fotografias, que foram pintadas via projeção no modelo. Em seguida, todas as luzes e sombras foram adicionadas, inclusive nas roupas 3D. Depois de renderizado, a imagem 2D precisava ser retocada para parecer mais semelhante com meu rosto... e ela precisava parecer que veio de uma cabine fotográfica."

Mas será?

Tudo bem que um artista do nível de Raphael poderia inventar essa história e reproduzir os documentos, mas dado o histórico de travessuras semelhantes, é bem provável mesmo que ele tenha conseguido.

Tamanho pequeno das fotos de documentos importantes na França contribuem para a confusão

Além disso, na França a carteira de identidade não é obrigatória e não requer exigências tão grandes quanto a certidão de nascimento ou o passaporte. Para piorar, as fotos utilizadas nesses papéis são pequenas o suficiente para uma reprodução bem feita ludibriar as autoridades.

Ainda assim, o esse registro garante passe livre em toda a Europa e, claro, quem não deve gostar nada disso é o governo francês. Nenhuma medida foi adotada ainda, mas já deu para notar que os oficiais talvez tenham que passar a utilizar a própria tecnologia para identificar esse tipo de fraude. Ou não, afinal de contas, o desenho ficou com a cara do autor e é para isso que serve a imagem, não?

Cupons de desconto TecMundo: