Ron Mallet é um físico e professor da Universidade de Connecticut, nos EUA, que tem uma missão bem complicada: construir uma máquina do tempo. De acordo com Mallet, a busca serve para reencontrar o pai, morto há 60 anos.

"Toda a minha existência e quem eu sou é devido à morte de meu pai", disse o físico. "Fiz uma promessa a mim mesmo de que vou descobrir como mudar o tempo usando como base o trabalho de Einstein", explicou.

Os estudos de Einstein passam por cálculos e teorias sobre a viagem no tempo. O famoso físico afirma que, se o espaço pode ser torcido, então o tempo também — e isso formaria uma espécie de loop. Esses loops permitiriam que fosse possível viajar para vários sentidos, como o passado e o futuro.

Explica melhor?

Mallet explica essa ideia dessa maneira: "Pense em uma xícara de café. O café representa o espaço vazio. A colher é o laser que agita o espaço. A queda de um grão de café, representando um nêutron, vai criar redemoinhos no vórtice da bebida. Um turbilhão intenso pode criar torções no espaço-tempo e voltas sobre si mesmo".

Para realizar o estudo que prova a possibilidade, o físico está tentando arrecadar US$ 250 mil (cerca de R$ 815 mil). O modelo da máquina já produzido possui anéis de laser verde-incandescentes que circulam dentro de um tubo de vidro — quem está desenvolvendo o protótipo é Chandra Roychoudhuri, amigo de Mallet.

A revelação da ideia de viajar no tempo foi divulgada neste ano por causa de dois aniversários especiais para o físico: 100 anos da Teoria da Relatividade (de Einstein) e 60 anos da morte de Boyd Mallet, seu pai.

Cupons de desconto TecMundo: