(Fonte da imagem: Deutsches Elektronen-Synchrotron (DESY))

Uma equipe de pesquisadores do Deutsches Elektronen-Synchrotron (DESY), na Alemanha, descobriu como tornar o ferro (57 Fe) transparente aos raios X — algo tentado por nove em cada dez vilões do Super-Homem. A descoberta foi feita através da técnica conhecida como “transparência eletromagneticamente induzida” (EIT, na sigla em inglês). Basicamente, trata-se de equilibrar a emissão e a absorção de energia, deixando os núcleos de um material em ressonância.

Conforme revelou a revista Nature, a experiência foi realizada em uma câmara de ressonância. Para tanto, duas folhas de ferro foram afixadas a uma distância determinada dentro da câmara. Em seguida, o local é banhado por emissões de raios X, os quais são rebatidos por um par de espelhos de platina, a fim de criar uma onda estacionária.

Conforme o núcleo do ferro absorve e reemite a energia dos raios, o núcleo dos átomos começa a transitar entre dois níveis de energia — similar ao que ocorre quando elétrons trocam de camadas. Dessa forma, o núcleo ganha energia ao absorver os raios X e perde quando eles são novamente emitidos.


Caso as folhas sejam colocadas na distância correta — a fim de provocar uma interferência destrutiva —, os fótons do raio X da onda estacionária se cancelam mutuamente, e a onda passa a atravessar a superfície sem impedimentos. Isso ocorre porque, em determinada distância, o núcleo passa a emitir fótons exatamente na mesma velocidade com que os absorve — tornando-se, portanto, invisível no espectro dos raios X.

Há ainda um benefício extra nisso: o de diminuir consideravelmente os fótons dos raios X. Embora as partículas viagem a 300 milhões de metros por segundo no vácuo, essa velocidade cai para 30 metros por segundo através do ferro. Dessa forma, a equipe espera utilizar a ressonância de núcleos para manipular os raios X de forma semelhante ao que é feito com a luz visível hoje.

Cupons de desconto TecMundo: