Um norte-americano que reside na Bulgária afirma que as Nações Unidas, o Fórum Econômico Mundial, o Escritório Internacional de Controle do Tesouro e o governo italiano estariam envolvidos em uma conspiração internacional com outras entidades para roubar cerca de US$ 1,1 trilhão, destinados às causas humanitárias.

Segundo Neil Keenan, entidades recorrentes em citações conspiratórias, como os Illuminati do Vaticano, os maçons e o Tesouro Federal dos Estados Unidos, também estariam envolvidos. Ele alega ter em sua posse documentos comprobatórios de todas as fraudes, incluindo notas da Reserva Federal dos EUA no valor de 124,5 bilhões, dois títulos do governo japonês e um do governo norte-americano, datado da época do presidente Kennedy.

Os valores seriam destinados a uma entidade familiar chamada Family Dragon, grupo que teoricamente reuniria diversos milionários e famílias secretas asiáticas. Keenan busca o retorno dos instrumentos roubados e o ressarcimento das custas judiciais em múltiplas reivindicações de fraude, quebra de contrato e violação do direito internacional.

Para isso, está ingressando com um pedido na Corte Internacional, tendo como representantes o advogado William H. Mulligan Jr. e o escritório de adocacia Bleakley, Platt & Schmidt .

O tema Illuminati também foi destaque na mídia na manhã desta quarta-feira (07/12), graças à saída misteriosa do ar do site Illuminati.org. O caso chegou a ganhar destaque entre os assuntos mais comentados do Twitter.

Cupons de desconto TecMundo: