(Fonte da imagem: Reprodução/Wikimedia Commons - BigRiz)

Uma equipe de pesquisadores da Universidade de Bangor, do País de Gales, descobriu um novo método de desenvolvimento para fibra óptica que torna a transmissão de dados 2 mil vezes mais rápida à oferecida pelos serviços disponíveis atualmente.

A tecnologia utiliza o sistema Optical Orthogonal Frequency Division Multiplexing (OOFDM). Além disso, a grande novidade está na acessibilidade, pois o objetivo é que essa nova fibra óptica esteja comercialmente disponível para o público em geral, como casas e empresas.

Entretanto, o projeto não é o primeiro a obter sucesso com o método. No ano passado, o pessoal da Universidade de Sydney, na Austrália, já tinha descoberto uma maneira de transferir dados através de fibra óptica, numa distância de 50 km, a velocidades de até 26 Tbps (terabits por segundo).

O projeto OCEAN, como é chamado no País de Gales, envolve grandes empresas, como a Fujitsu Semiconductors Europe, a Finisar Israel, o Fraunhofer Heinrich Hertz Institute e o VPIsystems GmbH.

Preço modesto

Jianming Tang, um dos professores da Universidade de Bangor, explicou que a nova tecnologia oferece uma velocidade até 2 mil vezes mais rápida que a atual pelo mesmo preço que as pessoas estão pagando por uma conexão de 20 MB.

Entretanto, existem muitos outros pontos a se considerar antes de determinar o valor da novidade. Afinal, as estruturas de transferência de dados ainda são baseadas em linhas de cobre para banda larga e também é preciso avaliar questões como a capacidade de atendimento das prestadoras de serviço. Ou seja, não se trata de uma solução prevista para um futuro tão breve.

Cupons de desconto TecMundo: