Você já se perguntou como o Facebook escolhe as pessoas que aparecem naqueles nove quadrinhos de amigos exibidos na sua página de perfil? O que? Você achava que aquilo era pura aleatoriedade? Sabe de nada, inocente!

Brincadeiras à parte, o fato é que a rede social de Mark Zuckerberg tem um algoritmo bastante complexo para escolher aquelas pessoas, assim como para organizar os amigos na barrinha lateral do chat e também para sugerir resultados na barra de buscas antes mesmo de você digitar alguma coisa. Tenha certeza de uma coisa: no Facebook, nada é por acaso!

O pessoal do Vice recentemente elaborou um pequeno experimento empírico com esse algoritmo e fez algumas constatações interessantes. Basicamente, essas três áreas em que a rede social mostra seus amigos são todas organizadas a partir desses registros de atividades (clique para conferir os seus) combinados com informações mais específicas. Esses registros são todos públicos, que qualquer pessoa poderia ver na rede social. Basicamente, são suas curtidas, compartilhamentos, comentários, amigos adicionados e por aí vai.

Note que coisas “privadas”, como sorrateiras visualizações de perfis alheiros —vulgarmente conhecidas como “stalkeamento” — não são levadas em conta para mostrar para outras pessoas quem são seus melhores amigos. Afinal, se você fica de olho em alguém que não faz o mesmo com você, significa que não são tão amigos assim, certo?

Eu tenho/sou um stalker?

As pessoas que você stalkeia só aparecem para você na barra de busca porque você tem procurando por elas frequentemente. Isso significa também que, se você tem um Stalker, o Facebook nunca lhe dirá isso, nem mesmo através de dicas sutis.

Então pode ficar tranquilo que aquelas nove pessoas não tão próximas que aparecem como amigos na capa do seu perfil não estão lhe stalkeando secretamente. As pessoas que te perseguem dessa forma são um segredo muito bem guardado para o Facebook, e a rede social não poderia sair por aí dizendo quem faz isso com quem para não gerar um desconforto coletivo quanto ao site. Ou seja, o que os olhos não vêm o coração não sente.

O pessoal chegou a criar um perfil falso, adicionou uma pessoa real e passou a visualizar loucamente todas as informações desse indivíduo diariamente sem nunca gerar uma interação pública. Apesar de tanta perseguição, o perfil falso nunca apareceu na lista dos nove amigos da capa do perfil do indivíduo perseguido.

"Amigos"

Mas afinal, com o Facebook decide quem aparece nos nove quadrinhos de amigos do meu perfil? A resposta para essa pergunta não é muito precisa, mas, basicamente, o algoritmo secreto calcula quem são seus melhores amigos, uma lista de 20 ou mais pessoas, e, a cada dia, elas são alternadas na capa do seu perfil. Como a maioria das pessoas interage com frequência apenas com poucas pessoas, nem sempre a galera mostrada lá são de fato amigos próximos.

O Facebook ainda leva em conta uma série de detalhes para definir quem é mais próximo de você. Por exemplo, ser marcado em um foto, fazer check-in no mesmo lugar e ir aos mesmos eventos vale muito mais “pontos de proximidade” do que o simples fato de curtir uma postagem de alguém ou compartilhar algo que ela postou.

Aquele que tudo vê

Caso você ainda esteja intrigado com tudo, pode ser interessante conferir este aplicativo online que usa a API do Facebook para determinar quem são as pessoas mais próximas de você segundo o tal algoritmo. Certamente, você vai acabar notando que elas realmente são mais frequentes na sua linha do tempo e aparecem mais na sua lista dos nove amigos.

Essa onisciência do Facebook sobre sua vida pode parecer um tanto suspeita, mas fique sabendo que há como ter mais controle sobre isso. Se você separar manualmente seus amigos em grupos na rede social, essa classificação vai sobrepujar os resultados o algoritmo, e você verá com frequência apenas coisas relacionadas às pessoas que definiu como próximas. Claro que isso pode gerar uma bolha em torno de si, mas é melhor do que deixar o Facebook dar uma de “grande irmão” e decidir tudo por você.

Cupons de desconto TecMundo: