Ferramenta passa por dificuldades no momento (Fonte da imagem: Reprodução/Lulu)

O caso do aplicativo Lulu não para de gerar polêmica. A ferramenta exclusiva para mulheres permite a elas criarem perfis de homens presentes no Facebook e avaliar o desempenho desses contatos durante os momentos íntimos. O problema é que o homem em questão não pode escolher se quer ou não estar presente na ferramenta e, por conta disso, o estudante de direito Felippo de Almeida Scolari processou o Lulu e o Facebook em São Paulo, pedindo uma indenização de R$ 27 mil.

O estudante de 28 anos explicou ao G1 que descobriu ter um perfil no app Lulu na segunda-feira 25/11 e, de acordo com seu advogado, o rapaz se sentiu ofendido por ter a imagem exposta na ferramenta. Aparentemente, a relação de Scolari com sua noiva teria sido afetada pela presença de seu perfil no app.

O jovem teria sido avaliado anonimamente por quatro pessoas até a tarde de ontem. A nota média atribuída a ele foi de 8,2, tendo recebido ainda 72 hashtags. Boa parte dessas parece ter sido positiva e o perfil foi visitado mais de 300 vezes.

De acordo com seu advogado, o processo deve ser movido por conta da impossibilidade de as pessoas terem o poder de escolher estar ou não presentes no app. Porém, o juiz responsável declarou que não era necessário mover uma ação judicial para resolver o caso, sendo que era possível remover o perfil do jovem facilmente por esta página. Contudo, mesmo depois de solicitar a remoção, as informações de Scolari continuavam no ar e sem qualquer bloqueio.

Com esse problema, o juiz pediu explicações ao Lulu. O Facebook simplesmente declarou que não comenta casos específicos.

Cupons de desconto TecMundo: